10 coisas que precisa de saber sobre a porta-voz de Donald Trump

Hope Hicks tem 27 anos

Um candidato presidencial tão inquietante como Donald Trump requer um braço-direito, no mínimo, fora do comum. A mulher em questão é Hope Hicks, a porta-voz oficial da sua campanha presidencial. Tem 27 anos, vem de Connecticut, EUA, é tímida, raramente fala com os jornalistas e, curiosamente, nunca tinha trabalhado em política (até ao ano passado). Por mais despercebida que queira passar, a verdade é que o seu nome está a correr o mundo desde esta segunda-feira, dia em que a revista ‘GQ’ publicou um longo perfil sobre si.

Eis 10 fatos fundamentais que deve saber sobre esta dama de ferro:

1. A assessoria de imprensa é algo que lhe corre nas veias: o seu pai desempenhou as mesmas funções para a Liga Nacional de Futebol Americano e, atualmente, fá-lo para a empresa Glover Park Group, baseada em Washington. O seu avô também traçou uma carreira semelhante. Quanto a Hicks, começou por trabalhar para uma empresa nova-iorquina onde, em 2012, se envolveu num projeto para a filha de Trump, Ivanka.

2. Hope não tinha qualquer experiência na área política até ter começado a trabalhar para a campanha de Trump, em 2015. Registou-se como republicana em 2008, mas garante não ser “convicta”.

3. Infância marcada pela moda e o desporto: quando ainda não passava de uma adolescente, Hicks foi requisitada para alguns trabalhos como manequim. Isso veio a ser-lhe útil quando ajudou Ivanka Trump a promover a sua linha de roupa. Aliás, Hope chegou a vestir algumas das peças para serem expostas no site oficial. Quando era jovem, foi também praticante de lacrosse, chegando a jogar pela equipa da Southern Methodist University, no Texas, na qual se formou em 2010.

4. O candidato ao lugar de Barack Obama na Casa Branca assegurou que reconheceu o talento de Hicks “de imediato”, não hesitando em fazer-lhe uma proposta de trabalho. “Vi logo que ela era excecional”, confessou.

5. A política falou mais alto do que o amor: a relação que Hope Hicks mantinha há seis anos com o seu namorado acabou por não resistir à pressão da campanha presidencial.

6. A porta-voz ainda vive, oficialmente, na cidade de Greenwich, Connecticut, mas atualmente passa a maior parte do seu tempo num apartamento que lhe foi cedido pela comitiva de Trump, em Nova Iorque.

7. Sendo uma mulher de personalidade forte, Hope não hesitou em discutir com o gerente de campanha de Trump, Corey Lewandowski, quando não concordou com as suas medidas. A tensão entre ambos chegou ao ponto de gritarem um para o outro, nas ruas de Manhattan, episódio que acabou nas páginas do ‘The New York Post’. Dado curioso: Corey acaba por ser despedido do seu cargo, segundo o ‘The New York Times’, mas os motivos não são claros.

8. Banir jornalistas faz parte das suas funções: todos os dias, Hicks tem que analisar pedidos dos meios de comunicação social e filtrá-los de acordo com o tratamento que Trump dá aos jornalistas em questão – recorde-se que o republicano é conhecido pela hostilidade e insultos que dirige aos media através do Twitter, sempre que não gosta de algo que foi escrito sobre si. “Ela lida com as birras”, contou uma fonte à ‘GQ’.

9. @HicksNoComment: a porta-voz é especialmente conhecida por não responder aos jornalistas. Foi até criada um conta no Twitter – @HicksNoComment – que responde a comentários com o nome de Hicks, em tom de brincadeira, com a seguinte frase: “A porta-voz da campanha de Trump, Hope Hicks, não faz comentários”.

10. A mulher por detrás das polémicas: segundo a ‘GQ’, foi Hope Hicks quem ajudou Donald Trump a orquestrar alguns dos momentos mais polémicos da campanha. Aquele em que chamou “vergonhoso” ao Papa Francisco, depois de este ter questionado a sua fé católica, foi um deles. “Ela escolheu trabalhar para o candidato mais fascista da recente história americana. Todas as pessoas que a conhecem dizem-lhe para parar de fazer isto e de colocar o seu nome nestas coisas… Ela vai arrepender-se de tudo o que disse e fez. E ainda não se apercebeu disso”, explicou uma fonte.

Hope Hicks recusou-se a falar com a ‘GQ’ para o seu próprio perfil. Mas com aquilo que conseguiu apurar sobre a porta-voz, a publicação concluiu: “É uma pessoa de abraços e que gosta de agradar os outros. Com um longo cabelo castanho e olhos verdes, é uma jovem mulher de sabor distintamente americano – do tipo que inspira canções do Tom Petty, e não distúrbios”.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Os 34 anos do Príncipe William: as mulheres da su…