Emily Ratajkowski está farta de comentários sexistas e quer que o mundo saiba disso

Não é a primeira, nem a segunda ou a terceira vez que o faz. Nem será a última. Emily Ratajkowski voltou a apontar o dedo aos comentários sexistas de que é alvo e defende novamente a igualdade no tratamento de género por parte da sociedade numa nova coluna de opinião que escreveu a convite da edição britânica da revista ‘Glamour’.

A manequim britânica de 25 anos, também ela “anjo” da Victoria’s Secret, começa por explicar. “Falar sobre feminismo e sobre política pode irritar as pessoas. Mas para mim, acho que seria louca se não o fizesse. Gosto de dormir bem à noite”.

A mulher que deu nas vistas com a sua participação no teledisco de ‘Blurred Lines’ acrescentou: “Tenho sido chamada de ‘desesperada por atenção’ tantas vezes que já quase estou habituada. E, como mulheres, somos acusadas de o ser muito mais do que os homens, quer por falarmos sobre política, como o fiz [ao discursar num evento de Bernie Sanders], ou por nos vestirmos de determinada forma, ou até por publicarmos uma selfie“, conta Ratajkowski.

A manequim frisa que “a nossa cultura tem tratamentos diferenciados [entre géneros] que estão enraizados”, mas adianta que a postura não parte só da parte dos homens. “Muitas vezes são eles que propagam estes atos de sexismo, mas as mulheres também o fazem entre si. Pensem na quantidade de vezes que ouviram uma mulher dizer a outra: ‘Oh, ela apenas está a fazer aquilo para ter atenção'”, atira a britânica.

“Sinto isso particularmente quando as minhas amigas se estão a arranjar para uma saída à noite. Muitas vezes, elas chegam ao ponto de pensarem: ‘Não quero vestir-me para que pensem que me estou a esforçar demasiado’. Elas não querem ser vistas como fúteis ou desesperadas. Mas os meus amigos do sexo masculino não pensam duas vezes sobre o facto de aquela determinada saia ou perfume as faz parecer desesperadas por atenção. A verdade é que ambos querem ser notados. Ainda assim, vemos o desejo de um homem por atenção como um instinto natural e o de uma mulher como um ato narcisista”, atira a manequim.

Antes desta reflexão, a manequim já tinha deixado clara a sua posição quanto a comentários sexistas. Quando a selfie de Kim Kardashian nua na sua casa de banho se tornou viral por todo o mundo, muito pelas críticas que recebeu, Ratajkowski defendeu a mulher de Kanye West e replicou a mesma imagem ao lado da empresária.

When we're like…we both have nothing to wear LOL @emrata

A photo posted by Kim Kardashian West (@kimkardashian) on

A mulher que é seguida por mais de oito milhões de cibernautas no Instagram também não ficou calada quando o apresentador britânico Piers Morgan criticou uma fotografia em que a manequim surgia nua, num cavalo branco, numa sessão fotográfica para a ‘Harper’s Bazaar’. “Queres que te compre umas roupas?”, perguntou Morgan no Twitter. A jovem respondeu: “Obrigado, mas não preciso tanto de roupas como tu precisas da imprensa”.

Emily Ratajkowski também já escreveu um ensaio para o site feminista de Lena Dunham, o Lenny Letters, no qual explicou de que forma a sociedade a fez sentir culpada por ter desenvolvido um peito maior do que o normal, aos 12 anos, para uma rapariga daquela idade. “Quem me dera que o mundo me tivesse feito perceber que as reações das pessoas à minha sexualidade não eram o problema meu, mas deles”, frisou.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

CR7 e Calvin Harris: há uma mexicana que os une