A primeira muçulmana campeã olímpica

International Olympic Committee (IOC) Evaluation Commission head Nawal El Moutawakel waves after a news conference in Rio de Janeiro, Brazil, August 12, 2015. The IOC Coordination Commission brought to a close its ninth visit to Rio de Janeiro after three days of meetings  and visits to the Olympic Venues. REUTERS/Sergio Moraes - RTX1O3TH

nawalA marroquina Nawal El Moutawakel ganhou os 400 metros barreiras nos Jogos de Los Angeles em 1984 e tornou-se a primeira muçulmana, a primeira árabe e a primeira africana a conquistar o ouro olímpico. De olhos colados nos televisores, os marroquinos assistiram eufóricos à atleta de 22 anos, equipada de vermelho e verde, a erguer a bandeira e a chorar depois de ter cruzado a meta do outro lado do Atlântico. Apesar de o país ser islâmico, ninguém se preocupou com o tamanho dos calções de Nawal, a nova heroína nacional, afinal era a mulher que fez o hino marroquino ser tocado na cidade americana.

 

International Olympic Committee (IOC) Evaluation Commission head Nawal El Moutawakel waves after a news conference in Rio de Janeiro, Brazil, August 12, 2015. The IOC Coordination Commission brought to a close its ninth visit to Rio de Janeiro after three days of meetings and visits to the Olympic Venues. REUTERS/Sergio Moraes - RTX1O3TH
(REUTERS/Sergio Moraes)

Passados mais de três décadas, Nawal é hoje dirigente do Comité Olímpico Internacional e tem entre as responsabilidades vigiar se tudo corre bem nos Jogos do Rio de Janeiro deste verão. Em Marrocos, onde chegou a ser ministra do Desporto, esta filha de Casablanca continua a inspirar as mulheres do reino, mostrando-lhes que nenhum caminho está vedado. Em 1984, na hora do triunfo, o então rei Hassan II não só telefonou a felicitá-la, como lhe prometeu que as meninas nascidas naquele 8 de agosto teriam o nome da campeã.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Do feminismo à saúde mental: as causas da famíl…