Alegado abusador sexual de Taylor Swift vai mesmo a tribunal

Quatro anos depois, foi marcada a primeira audiência. Será no próximo dia 7 de agosto que se dará início ao julgamento que opõe a cantora Taylor Swift ao locutor de rádio David Mueller, que a artista acusa de abuso sexual.

O caso remonta a junho de 2013 e terá acontecido durante um encontro breve entre Swift e um grupo de fãs, onde Mueller estava incluído. “Ele agarrou-me no rabo e eu fiquei em estado de choque. Fiquei paralisada”, garante a intérprete, de 27 anos.

“No momento em que estávamos a posar para uma fotografia, ele levantou o meu vestido e meteu a mão no meu rabo. Foi completamente intencional, nunca tive tanta certeza de nada na minha vida como disto. Lembro-me de ficar angustiada como nunca me tinha acontecido”, disse na época, acrescentando que os encontros são um reconhecimento dos artistas para com os seus fãs e que essa “hospitalidade” não pode ser “violada”.

David Mueller já veio a público defender-se das acusações, explicando que não tocou de forma intencional em Taylor. Tentou ainda processar a artista por difamação – o locutor foi demitido assim que o caso veio a público -, mas o tribunal não lhe deu razão.

Caso a justiça lhe dê razão, Swift irá doar a indemnização a uma organização de apoio a vítimas de abusos sexuais.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

A resposta de Chrissy Teigen ao “covfefeR…