Amy Schumer. Elegante e atrevida na capa da ‘Vogue’

Amy Schumer na capa de 'Vogue' em julho

O universo de Amy Schumer define-se numa só palavra: sexo. É em torno dele que giram os seus espetáculos de stand up, a sua série de sketch comedy e até os seus discursos nas galas de entregas de prémios. Na entrevista e sessão fotográfica que concedeu à edição de julho da revista ‘Vogue’, a estrela do filme ‘Trainwreck’ manteve-se, uma vez mais, fiel ao seu registo ousado e provocante, desvendando alguns segredos sobre a sua sexualidade.

“Sempre fui maluca por rapazes, mas não era promíscua. Os meus amigos começaram a ter uma vida sexual ativa anos antes de mim. Eu adorava estar à volta disso, mas não fiz sexo até aos 17 anos. E não fiz sexo oral até já estar a meio da universidade”, contou.

Humorista tem 35 anos
Humorista tem 35 anos

Fotografada pela conceituada Annie Leibovitz, Schumer confidenciou ainda que foi a Samantha de ‘O Sexo e a Cidade’ (Kim Cattrall) que a inspirou a mudar de atitude no que toca à sua vida sexual. Decidiu, quando era bem jovem, não se “afeiçoar” a ninguém. “Perdi a minha autoestima no primeiro ano da faculdade. E depois no ano seguinte fiz sexo, provavelmente, com seis homens diferentes e pensei ‘Se calhar sou como a Samantha. Vou continuar assim para não me afeiçoar a ninguém’. Eu sempre pensei que o sexo era divertido, sempre tive interesse por isso”.

Hoje, a humorista de 35 anos já não é uma Samantha. Talvez seja uma Charlotte, agora que mantém uma relação estável e feliz com o designer Ben Hanisch, de 29 anos. “Estamos apaixonados. E ainda estamos completamente na fase de lua-de-mel. É uma relação verdadeira”, reconheceu.

Nesta entrevista – no decorrer da qual ficou da saber da morte de Prince – Schumer explica ainda que o seu trabalho é também uma forma de feminismo. “Eu tenho esta necessidade inata de dizer coisas que acho que são importantes para as pessoas ouvirem. E não tolero injustiça. Mesmo que isso deixe as pessoas desconfortáveis, não tenho medo suficiente de criar conflito para manter a boca calada”.

Mais um momento da sessão fotográfica
Mais um momento da sessão fotográfica

A sua estreia num palco de stand up comedy aconteceu em 2003, quando tinha 22 anos. “Tive algumas horas para arranjar um alinhamento e atuar durante sete minutos. Não me lembrava de ter visto muitas mulheres a falar sobre sexo em stand up. Por isso pensei ‘Vou ser isso'”.

Mais tarde, surgiu o seu programa no canal por assinatura Comedy Central, ‘Inside Amy Schumer’, que já mudou, em quatro temporadas, “o jogo da televisão e as suas regras”, frisa a ‘Vogue’. Semelhante impacto teve o filme ‘Trainwreck’, êxito de bilheteiras em 2015 que a catapultou para a elite de Hollywood. Amy Schumer é inquietante, imprevisível, mas se há algo que podemos esperar dela, brevemente, é um filme escrito e protagonizado a “meias” com a sua BFF da indústria, Jennifer Lawrence – ou pelo menos é o que ambas gritam aos quatro ventos.

Esta entrevista, de resto, é assinalada com um sketch humorístico que Schumer protagoniza ao lado de Anna Wintour. A ideia é simples: durante um dia, a comediante assumiu o cargo de diretora da Vogue, enquanto Wintour se aventurou nas lides da comédia com uma atuação ao vivo. Uma delas irá falhar na sua missão: consegue adivinhar qual?

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Vídeo: “Qual foi o momento mais inoportuno …