Andreia Rodrigues: “Uma mulher não deixa de o ser quando se casa”

De casamento marcado para este verão, a apresentadora de televisão Andreia Rodrigues foi a escolhida para embaixadora da nova coleção de lingerie Bridal da Intimissimi. Uma linha dedicada às noivas de verão de 2017 que conta com peças cheias de pormenores, muito delicadas, femininas e ainda algumas mais arrojadas. Andreia esteve esta quarta-feira, dia 17 de maio, na loja da Rua Augusta a apresentar a coleção, conversou connosco e revelou-nos o poder que uma lingerie pode ter numa mulher.

Qual a importância da lingerie no dia do casamento?

Começando pelo facto da lingerie ser essencial todos os dias, não podia deixar de o ser no dia do casamento. Ela é fundamental para que a noiva se sinta confortável. É um dia muito exigente e para que o vestido caia bem é essencial que a lingerie esteja perfeita. Além disso acredito que faça com que a noiva se sinta mais especial ainda, porque é uma peça que tem um efeito transformador, acho eu. Se nos olharmos ao espelho com uma lingerie mais básica e depois mudarmos para uma mais elaborada, isso vai criar uma mudança, um impacto em nós. Vai provocar uma transformação no nosso estado de espírito. Por isso, para mim, a lingerie é algo fundamental todos os dias, principalmente nos especiais.

Então é importante prestar atenção à lingerie não só em ocasiões especiais mas todos os dias?

Sim. Para mim a lingerie é como a nossa segunda pele e se não estivermos confortáveis com ela não vamos estar confortáveis com as peças que colocamos por cima. Estaremos sempre incomodadas e esse incómodo pode ser até mesmo por questões de saúde. Por exemplo, quem tem um peito demasiado pesado pode ter problemas nas costas se, diariamente, não usar um soutien adaptado e um suporte adequado ao tamanho do seu peito. Por isso é que se torna essencial que as mulheres, numa uma loja de lingerie, procurem ajuda e se informem junto de quem está na loja. É necessário procurar saber exatamente qual é o tamanho certo do soutien ou qual o modelo que poderá favorecer mais as formas do corpo, por exemplo.

Quanto às mulheres portuguesas, de que forma é que a lingerie pode ser uma mais-valia nas suas vidas?

Há mulheres que se olham ao espelho e que, por vestirem determinado tipo de peças, não gostam de se ver. Isto acontece porque não têm a lingerie certa. Seja porque o soutien não tem o suporte suficiente para o peito ou porque a cueca que está a vestir não é do tamanho certo e acaba por criar algum tipo de vinco. Para isso não acontecer é preciso cuidarmos de nós. Se cuidarmos de nós e da forma como nos vestimos por dentro, isto é, por baixo da roupa e por cima da nossa pele, o próprio ritual de vestirmos uma lingerie, só por si, acaba por ser algo bom, algo prazeroso. Eu acho que é muito mais interessante vestirmos uma lingerie bonita e com a qual nos sintamos bem e especiais, do que estarmos a vestir uma lingerie básica, só porque sabemos que temos de vestir qualquer coisa. Acho que é essencial as mulheres criarem rituais que as façam sentirem-se especiais. É importante que não deixemos de cuidar de nós. Nada deve ser deixado ao acaso, tudo deve ser especial.

Acha que as mulheres portuguesas ainda arriscam pouco na lingerie, apresentando algum receio com determinados modelos?

Eu acho que isso tem vindo a mudar cada vez mais, principalmente com a entrada de marcas como a Intimissimi no mercado. Pois mostram que realmente a lingerie é muito mais que uma simples lingerie e que tem o poder. São marcas que apostam na irreverência, apostam em campanhas onde mais do que mostrar um conjunto de roupa interior mostram uma atitude. Não é só a atitude de sermos sensuais ou não sermos sensuais, é a atitude que temos perante a vida, de estarmos confortáveis connosco e de as coisas não serem por acaso. É a atitude de vivermos os dias com a intensidade que eles têm de ser vividos e de nos sentirmos lindas e maravilhosas com o corpo que temos. É importante sentimo-nos bem e criarmos ou termos peças que nos embelezem ainda mais. E acho, efetivamente, que as mulheres portuguesas têm vindo a preocupar-se mais com a lingerie. Aliás, se olharmos à nossa volta, as mulheres portuguesas são mulheres que se cuidam muito e que enfim… arrasam em qualquer lugar.

Portanto, as mulheres portuguesas têm essa atitude?

Sim. As mulheres portuguesas têm cada vez mais atitude, sentido estético e de moda, não têm medo de ousar. E isso é fundamental. Nós, mulheres portuguesas temos de nos orgulhar muito de quem somos, porque vestimos a nossa pele, sentimo-nos confortáveis e temos atitude. E acho que isso faz toda a diferença.

De que forma a nova coleção da Intimissimi, dedicada às noivas deste verão, traz essa atitude e se destaca de todas as outras?

A coleção é maravilhosa, dá vontade de ter todas as peças. E mesmo sendo uma coleção de noiva, tem a vantagem de se conseguir adaptá-la a todos os dias. Havia uma altura em que pensávamos: lingerie branca? Só se usa em determinadas alturas. Não, eu uso lingerie branca muitas vezes. Gosto. Se nos faz sentir bem, porque não? Além disso é uma linha com modelos para todos os corpos, para todos os gostos, que traz alguma cor e ainda umas peças mais direcionadas para o pós, ou seja, para os momentos depois da cerimónia. É o caso de uns pijamas maravilhosos de calção e top, mas também algumas peças com cores mais fortes, que podem ser usadas na lua-de-mel, altura em que se opta, normalmente, por destinos mais paradisíacos e que pedem alguma cor.

De facto a coleção apresenta peças com tons brancos e outras em tons pastel. Porquê?

Essas são peças um bocadinho mais arrojadas e fora do tom. A pergunta coloca-se na mesma: porque não? Porque é que só tem que ser uma cor clara? A linha tem tons mais ousados, porque uma mulher não deixa de o ser quando se casa. Somos mulheres todos os dias e continuamos a sê-lo. E esta lingerie acompanha essa evolução que a mulher tem de forma natural. Nós não somos obrigadas a vestir-nos todas de branco, nem a ter todas a mesma opção de modelo. Daí que esta linha, embora seja dedicada às noivas vá ao encontro de todos os momentos e de todas as mulheres.

E a Andreia já escolheu a sua lingerie para o casamento?

Eu já tenho a minha escolhida. Confesso que há dias em que visto primeiro a lingerie e depois logo vejo o que é que se adapta, mas neste caso escolhi primeiro o vestido e tive que escolher depois a lingerie que melhor se adaptava. Mas não foi difícil.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Prepare-se para mergulhar no verão de 2017