Subir

Apple rejeita proposta para mais mulheres e negros em lugares de topo

Apple (REUTERS/Dado Ruvic)

O conselho de administração da Apple enviou um documento aos acionistas a recomendar que votem contra uma proposta de um acionista no sentido de acelerar o aumento da diversidade nos quadros de topo.

A proposta foi feita pelo acionista Antonio Avian Maldonado, que detém apenas 2,000 dólares em ações da empresa, e propunha que a Apple desenvolvesse “políticas de recrutamento aceleradas” no sentido de contratar mulheres e minorias, e que essas medidas fossem efetivas para “cumprir o compromisso de igualdade de oportunidades e e de diversidade na gestão de topo e administração”.

A recomendação (ver na página 60) de rejeição da proposta surpreendeu, até porque em agosto último, Tim Cook, o CEO da Apple, afirmara, no relatório de diversidade da empresa, que ainda havia muito a fazer no que toca à inclusão de mais mulheres, negros e outras minorias.

Olhando para os cargos de destaque na gigante tecnológica, em 11 lugares, começando por Tim Cook, dez são ocupados por homens brancos e um apenas por uma mulher branca. Já entre os sete vice-presidentes, cinco são homens brancos e os restantes dois lugares são ocupados por mulheres, uma delas é negra. No conselho de administração o cenário é muito idêntico: em oito lugares, há apenas um negro e duas mulheres brancas.

A decisão justificada dizendo que as medidas propostas seriam “inutilmente pesadas e não necessárias já que a Apple tem demonstrado aos seus acionistas o seu compromisso para com a inclusão e diversidade, que são valores chave para a companhia.”