Subir

As antiprincesas saíram dos livros para a rua

 

A coleção ‘Antiprincesas’ saiu dos livros para a rua, numa iniciativa de leituras encenadas, que se realiza este fim de semana e no próximo dia 30 de setembro, no Jardim da Cerca da Graça, em Lisboa.

Com dois horários em cada dia, às 11h e 16h, e entrada livre, as sessões dão a conhecer uma das protagonistas da coleção de livros infantis, lançada numa parceria Tinta-da-China/EGEAC.

A “personagem” escolhida para estas leituras encenadas é Violeta Parra, a lendária cantora e compositora chilena, cujo centenário do nascimento se celebra a 4 de outubro. Através da leitura dramatizada da sua biografia, evoca-se uma heroína de carne e osso, que teve uma vida longe dos contos de fadas das princesas mas que se destaca por sempre ter lutado por aquilo em que acreditou e pelo legado que deixou.

Além de Violeta Parra, a coleção ‘Antiprincesas’ conta a história de mais três mulheres inspiradoras: a pintora mexicana Frida Kahlo, a militar boliviana de origem indígena Juana Azurduy e a escritora brasileira Clarice Lispector.

“Estas mulheres não têm coroas, não vivem em castelos e não têm superpoderes. São mulheres reais, mas que desafiaram os cânones e revolucionaram o mundo através da arte, literatura ou política”, assinala a informação de promoção a estes livros.

AT

Imagem de destaque: Leonardo Beltrán