Assédio sexual sofrido por Taylor Swift é drama comum no meio artístico

“Foi, definitivamente, um apalpão!” Foi desta forma que Taylor Swift, de 27 anos, descreveu em tribunal o que aconteceu em junho de 2013, minutos antes de subir ao palco em Denver, no estado de Colorado, durante uma sessão fotográfica com os fãs.

A cantora e compositora foi ouvida, finalmente, na quinta-feira, 10 de agosto, e relatou o momento perante o júri de um Tribunal Distrital. Swift alega que foi alvo de uma “longa” e “intencional” apalpadela no rabo por parte de David Mueller, DJ e locutor da rádio KYGO-FM.

“Ele apertou as minhas nádegas por baixo da minha saia. Apalpou e continuou sem largar as minhas nádegas”, garantiu a estrela sob juramento.

Casa
Taylor Swift exige uma indemnização no valor de 850 mil euros (Fotografia: Justin Lane / EPA]

Na época, a cantora não denunciou de imediato Mueller à polícia, mas terá falado com a mãe e com membros da sua equipa sobre o sucedido e estes foram, imediatamente, pedir contas ao presumível agressor. ´

As revelações que agora a cantora faz perante o tribunal não são histórias estranhas a quem vive no mundo artístico. Dos Estados Unidos da América ao Brasil, também por cá, em Portugal, há casos de assédio relatados por figuras públicas do sexo feminino. Na galeria poderá ficar a conhecer alguns exemplos.

As testemunhas de Taylor Swift

Perante o juiz William Martínez, a voz de Shake it Off mencionou os nomes do fotógrafo Stephanie Simbeck, do segurança Greg Dent e da progenitora Andrea Finley Swift como testemunhas do alegado assédio por parte de Mueller.

A mãe da cantora foi chamada a depor na quarta-feira, 9 de agosto, e garantiu não ter qualquer razão para duvidar da filha. “Na ocasião, a minha filha veio ter comigo e disse-me que um homem tentou agarrá-la por baixo da saia. Fiquei irritada ao ponto de querer vomitar e chorar ao mesmo tempo. Ela tremia. Foi humilhada por esse homem que passou a mão pelo seu corpo“, contou Andrea Finley Swift em tribunal. “O que poderia acontecer a esta jovem mulher se estivesse ali sozinha?”, questionou, claramente perturbada, a mãe de Swift.

Taylor Swift foi considerada a cantora mais bem paga em 2016. A estrela conquistou 170 milhões de dólares [Fotografia: REUTERS/Mario Anzuoni]

Taylor Swift usou em tribunal uma fotografia onde ela aparece ao lado de Mueller , registada há quatro anos, no dia da atuação em Denver, que serviu de prova daquela situação concreta. “Eu afastei-me dele, visivelmente desconfortável”, garantiu. “Ele intencionalmente colocou a mão por baixo da minha saia e apertou uma parte íntima do meu corpo de maneira não apropriada, contra a minha vontade e sem a minha permissão”, declarou a artista.

E tudo parecia estar esquecido até que, em 2015, Mueller, acusou a cantora de ter sido responsável por ele ter perdido emprego. O locutor da rádio local decidiu levar o caso a tribunal e como resposta a cantora processou-o, acusando-o formalmente de assédio sexual.

“Isto é algo que eu não queria que fosse público“, disse a cantora, porque não queria “desapontar os fãs” que ali estavam à sua espera para tirar fotografias e distribuir autógrafos. Por isso aguentou “o máximo” que conseguiu.


Saiba que As mulheres são as maiores vítimas de assédio sexual e moral no trabalho

Leia também Vítimas de assédio no trabalho vão ter mais proteção


Por sua vez, David Mueller, de 55 anos, negou a acusação alegando que Swift permaneceu no local como se nada se tivesse passado. O radialista exige agora uma indemnização de 2,5 milhões de euros por danos e prejuízos, enquanto a cantora anuncia que, se ganhar a causa, o valor por si exigido em sede própria, cerca de 850 mil euros (um milhão de dólares), será entregue a instituições de caridade que trabalhem para proteger mulheres vítimas de abuso e assédio sexual.

Recorde-se que após a denúncia de Swift, David Mueller foi proibido de assistir ao concerto da artista nessa noite e a estação de rádio onde trabalhava teve logo conhecimento da queixa da cantora. O locutor garantiu a sua inocência, mas ainda assim foi despedido dois dias depois.

Swift revelou, na altura, que aquele ato “não foi um acidente, foi totalmente intencional. E quando questionada sobre o assunto assegurou: “Quando chegou o momento de tirarmos a foto juntos, ele levantou o meu vestido e colocou a sua mão na bochecha do meu rabo. Nunca estive tão segura de nada na minha vida“.

Esta não é uma situação inédita no mundo do espetáculo. Percorra a nossa galeria e recorde os casos mais mediáticos de mulheres que, alegadamente, foram também vítimas de assédio sexual.

Fotografia de destaque: DR

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

George Clooney ajuda crianças refugiadas