Subir

Bra fiting, o verdadeiro amigo do peito

Provavelmente, já ouviu falar em consultoria de imagem, o conceito que procura o tipo de roupa, calçado e acessórios mais adequados ao estilo e corpo de cada pessoa. E se lhe dissermos que existe o mesmo para soutiens?

Com base no mesmo pressuposto, o bra fiting consiste no aconselhamento personalizado que procura ajudar cada mulher a encontrar o soutien que lhe é mais adequado.

É a esse serviço que o atelier Bra&Company, de Madalena Ramos, se dedica desde 2014. Situado no Saldanha, em pleno centro de Lisboa, o espaço, fornece o aconselhamento gratuito às clientes, trabalhando com um conjunto de marcas de lingerie e swimwear, que abrangem uma vasta gama de modelos e tamanho. Na Bra&Company, estes podem ir do 28 ao 44 (numeração inglesa) e de copas D à O (na nomenclatura europeia). A ideia é chegar a todo o tipo de mulheres, abarcando a maior variedade de estilos possível.

Em termos concretos, a consulta de bra fiting “consiste em avaliar, inicialmente, o estado do soutien que a pessoa traz, e depois dar-lhe o soutien correto”, sintetiza Madalena Ramos, que recebeu o Delas.pt no seu gabinete.

Lisboa, 29/03/2017 - Madalena Ramos, da Bra & Company. ( Leonardo Negrão / Global Imagens )

Madalena Ramos, criou a Bra&Company em 2014. No seu atelier tem uma vasta gama de marcas e tamanhos de soutien, para todo o tipo de clientes (Leonardo Negrão/Global Imagens )

A consultora começa sempre por ver a largura das costas, “onde todos os soutiens falham”, depois a copa, que tem uma composição entre um número e uma letra e depois a morfologia do peito: se a mama é mais junta, mais afastada, mais firme, mais mole. A partir daí vai selecionar-se o estilo de soutien que vai ou não ficar bem.

Algumas mulheres não têm de passar por este processo: “Há senhoras a quem todos ficam bem”. Nesses casos, a seleção faz-se como em qualquer outra loja. Mas o que o bra fiting visa é procurar a “adequação do soutien ao corpo”.

links_super_orgasmoMas porque é que as costas são a parte mais complicada? Madalena Ramos avança com uma explicação: “As marcas de um modo geral começam a trabalhar costas [de medida] 32, e na maioria dos casos 34. O que verificamos quando as senhoras chegam aqui é que quase que consigo dar um laço nas costas. Nas lojas, normalmente, dá-se a cobertura da copa e o que se vai sacrificar é o suporte. E o que é dado pelo conjunto do cós com a armação vai ser feito apenas pela alças, que idealmente teria um contributo muito pequeno, de 10 a 15% na sustentação total do soutien”.

Uma questão de saúde com um toque de beleza
O ideal é que o cós fique justo ao corpo, de modo a segurar o peito de baixo para cima, evitando deixá-lo descair. Se o peito for grande e pesado, e não houver um suporte nas costas, “o peso vai cair todo em cima dos ombros, provocar dores, não só nessa zona, mas também na cervical, nos rins, porque toda a postura muda, começa a ser mais curvada”. “Tudo isto sacrifica a saúde”, alerta Madalena Ramos

A estética é importante, mas quando se fala de um bom soutien está-se a falar, sobretudo, de saúde e a consultora não tem dúvidas de que no cós “que está o segredo” de um bom soutien.

A isso Madalena Ramos procura juntar variedade de estilos e modelos, para que as questões de conforto e de saúde não invalidem que a mulher se sinta bonita.

“Porque é que um soutien para um peito grande tem de ser feio?”, questiona, acrescentando que muitas das suas clientes se queixam de só conseguirem encontrar, para os seus tamanhos, peças mais clássicas e nas cores tradicionais: brancos, pretos e beges.

“Podemos ter um soutien mais básico, mas também é possível ter um rendado”, exemplifica a vendedora e consultora que trabalha quase exclusivamente com marcas inglesas, para poder conjugar essas duas valências.

“Só escolho marcas que me proporcionem o tal fiting, ou seja que trabalhem com o maior número de tamanhos possíveis. As marcas inglesas dão-nos cerca de 90 a 100 tamanhos.”

Na sua loja, o maior soutien que tem para venda é um tamanho 40, com copa K (em numeração inglesa e equivalente à copa O, na numeração europeia). O mais pequeno é um 32, copa C (igual para as diferentes numerações).

bra-company

O maior soutien (em cima) e o mais pequeno (em baixo), disponíveis no atelier de Madalena Ramos

A gama alargada de tamanhos é uma das suas preocupações principais quando escolhe as coleções, mas não a única. “Tem de ter básicos, porque há senhoras que não gostam de rendas, nem de cores e também tem de ter peças coloridas que encham o olho. Uma mulher portuguesa está muito habituada a ter só os brancos, beges e pretos e quando veem um verde ou com um estampado, dizem: ‘Ah, eu gostava tanto de ter isto para o meu peito mas já sei que não há’. Mas há”.

Madalena Ramos trabalha há 20 anos com lingerie, depois de ter passado pelo setor da construção civil como engenheira de materiais.

Mudou de área profissional, mas não abandonou os conhecimentos da sua área de formação. A escolha dos materiais é outro dos detalhes a que consultora está especialmente atenta, preferindo a poliamida ou poliamida com nylon, em detrimento do algodão, que só usa nos soutiens de amamentação, por perder mais facilmente a elasticidade. Por outro lado, dá preferência às copas moldadas em vez das almofadadas.

“É através de todas estas conjugações que vemos o que é que está bem e o que é que está mal”, refere.

Soutiens para todos os corpos
No Bra& Company, Madalena Ramos recebe todo o tipo de clientes, desde adolescentes até avós e dos mais variados estratos sociais.

“Tenho aquela cliente que vem cá de dois em dois meses, porque esteve a juntar dinheiro para comprar um soutien. Recebo aqui toda gente e acho que o facto de o atelier ter um ambiente familiar ajuda a que se sintam mais à vontade”.

Lisboa, 29/03/2017 - Madalena Ramos, da Bra & Company. ( Leonardo Negrão / Global Imagens )

Madalena Ramos, da Bra&Company. (Leonardo Negrão/Global Imagens )

Os preços dos soutiens podem ir dos €35 aos €64. O mais caro é o soutien desportivo da alto impacto (na imagem em cima), duplo na copa, com alças almofadas e quatro colchetes no cós. “Vai encapsular cada mama individualmente, é muito confortável e até pode ser usado no dia-a-dia”, diz a consultora.

Já o mais vendido é o modelo Rebecca, que custa €59, e tem as copas feitas em 3D, usando, em termos de materiais, uma mistura de poliamida, nylon e poliéster.

soutiens

Modelos Rebecca, os mais vendidos, pela Bra&Company, em preto e bege.

Ao contrário do que se possa pensar, não são apenas as mulheres com peito grande que procuram o atelier de Madalena Ramos, até porque, diz a consultora, existem alguns mitos sobre o tamanho das copas. “Uma copa D não é uma copa grande, ao contrário do que se vê publicitado em muitas lojas. Copa D ou copa E não são tamanhos grandes. Sobretudo porque há sempre a questão das costas.”

Outro dos mitos que desfaz é o das alças grossas nos soutiens para peitos mais volumosos e pesados.

“Isso está errado. Eu tenho soutiens cai cai para peito grande. Não têm alças sequer. Onde é que está o truque? Na largura do cós. Aí sim. Para um peito grande, normalmente a largura do cós é maior do que para um peito mais pequeno e inclui três colchetes.”

O resultado, diz, são clientes surpreendidas e satisfeitas por perceberem que com o peito grande podem à mesma usar alças mais finas ou até um cai cai, sem abdicar do conforto. No caso das mulheres portuguesas, gerir todas as variáveis que determinam o tamanho correto de um soutien pode ser um desafio, dadas as suas particularidades físicas.

“Em Portugal, temos uma fisionomia muito característica: uma grande disparidade entre a largura das costas e o tamanho de peito. Portanto, de uma forma geral, os soutiens estão largos nas costas”.

É por isso que encontrar o tamanho adequado do cós é a primeira coisa a ser feita.

O bra fiting passo a passo
links_sexoQuando as mulheres aparecem no gabinete de Madalena Ramos, quase sempre o soutien que levam vestido está demasiado subido nas costas. A consultora começa por ajeitá-lo ao corpo, baixando o cós até ao sítio certo, na linha abaixo do peito. É nesse processo que a consultora vê se o soutien está largo ou não, já que ao reposicioná-lo consegue perceber a folga que fica entre o cós e as costas e que deverá ser eliminada para um melhor suporte.

“Depois tenho de tirar estes centímetros todos, porque a copa pode estar bem, mas se o cós não estiver é aí que falha a sustentação. Portanto, o peito pode não ser grande, a medida das costas é que pode estar errada”.

Ao contrário do que acontece com modelos e marcas mais padronizadas, em que o tamanho do cós aumenta quase sempre com o da copa, no Bra&Company a medição é feita em separado e cada cliente serve de modelo, neste caso em causa própria.

Para entendermos melhor este processo, fizemos uma consulta de bra fiting com Madalena Ramos e e conferimos, desde logo, que cometemos o mesmo erro que as suas clientes: cós subido, mal apertado e alças lassas. O resultado: peito descaído e sem sustentação.

Reconhecido o erro, passamos à fase de escolha de um novo soutien e começamos, efetivamente, pela medição das costas, que Madalena Ramos faz através de polegadas, fruto da sua experiência a trabalhar com marcas inglesas. Seguindo um método semelhante, calcula o tamanho da copa. Está feita a primeira avaliação, avançamos para a escolha do soutien. Experimentamos um modelo Rebecca bege, tamanho 30, copa DD.

links_casalNeste caso, o tamanho de costas revela-se um pouco estreito, tornando o cós demasiado apertado. Convém referir que as preferências da cliente são um importante dado para chegar ao soutien ideal. Se há mulheres que gostam de sentir a parte que sustenta o peito ligeiramente espartilhada, outras optam por usar uma versão um pouco mais solta, ainda que dentro dos parâmetros que garantem que o peito se mantém firme e bem apoiado.

É o nosso caso. Madalena Ramos traz então um número acima: tamanho 32, copa D. Ajuda-nos a vestir, porque aqui também há truque. Puxar ligeiramente cada um dos seios para dentro da copa para encaixá-los adequadamente pode parecer um detalhe, mas, como explica a consultora, faz parte do ato de usar corretamente um soutien, da mesma forma que endireitamos uma camisa quando a vestimos.

A morfologia da mama, o espaço de separação entre os seios são outras das condições que influenciam a escolha do soutien mais adequado a cada corpo.

Na Bra&Company há ainda soutiens para mulheres que foram submetidas a mastectomias, para mulheres que estão a amamentar, soutiens desportivos e, já a pensar no verão, a linha de praia, com biquínis, fatos de banho e tanquínis, também com mais tamanhos e modelos que o normal.

Ana Tomás