CIG leva Pedro Arroja a tribunal por discriminação sexual contra deputadas do BE

arroja

“Eu não queria nenhuma daquelas mulheres, já tenho pensado, eu não queria nenhuma daquelas mulheres, nem dada. Nem dada!” Foi assim que Pedro Arroja, comentador do Porto Canal se referiu às deputadas do Bloco de Esquerda já depois de as ter chamado “esganiçadas”. A entrevista de comentário político foi amplificada pelas redes sociais e as deputadas reagiram em comentário.

A Comissão para Cidadania e a Igualdade de Género (CIG), um organismo dependente do da Presidência do Conselho de Ministros, foi mais longe e apresentou uma queixa por discriminação sexual ao Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) do Porto. Na notícia avançada pelo JN, esta quinta-feira pode ler-se:

“Segundo a procuradora responsável pelo inquérito, Diana Ribeiro Gama, em causa poderá estar a prática do crime de discriminação sexual, previsto no Código Penal”

Pedro Arroja deve agora esperar pelo fim do inquérito para saber se terá de responder em tribunal pelo crime em investigação. Se chegar a julgamento e se provar a culpa, o arguido poderá ser punido com uma pena de seis meses a cinco anos.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Tuberculose diminui em Portugal, BCG não evita o …