Subir

Bowie: cinzas em Bali e metade da fortuna nas mãos de Iman

O testamento agora conhecido de Bowie, que morreu a 10 de janeiro, revela que o cantor queria que as suas cinzas fossem espalhadas em Bali, Indonésia, cumprindo um ritual budista, segundo o jornal norte-americano ‘New York Post’. A ligação com o país deverá remontar a 1980, um elo que terá permanecido já que o jornal indonésio ‘The Jakarta Post’ revelou que o cantor fez várias versões das suas músicas naquela língua ao longo dos anos.

Esta não é, porém, a única revelação constante no seu testamento e que foi assinado em agosto de 2004. Com um património avaliado em 92 milhões de euros (100 milhões de dólares), Bowie deixou à mulher, Iman, cerca de metade da herança e o apartamento em Manhattan. A filha do casal, Lexi, deverá aguardar até aos 25 anos para ter acesso ao que lhe foi deixado pelo cantor. Nessa altura, deverá também receber a casa de férias. Duncan Jones, filho de 44 anos, deverá receber um quarto da herança.

Bowie, segundo avançou a mesma imprensa norte-americana, não deixou para trás quem o acompanhou e deixou cerca de dois milhões à sua assistente pessoal e amiga Corinne Coco Schwab e um milhão à ama do filho, Marion Skene.

Recorde também a influência do cantor na moda