Subir

Cuca Roseta: segredos para viver a maternidade de forma descontraída

Cuca Roseta

A fadista de 34 anos explica como se adaptou à chegada do segundo filho. Cuca Roseta foi mãe pela segunda vez a 21 de março. Benedita, fruto do seu casamento com o preparador físico João Lapa, veio juntar-se a Lopo, de oito anos.

“É engraçado. Achava que ia ser igual mas foi completamente diferente. É surpreendente porque achamos que o segundo é igual ao primeiro e não é assim. Tive um rapaz e, depois, uma rapariga. Logo aí, é completamente diferente”, começa por dizer.

Cuca Roseta

A fadista com os filhos, Lopo e Benedita (foto: Mate/Love Cuca)

“Quando tive o meu filho, aos 26 anos, era tudo novo. Era uma mãe mais ansiosa, com mais medos. Agora sou extremamente confiante. Sou muito mais prática. Lembro-me de no início, com o meu filho, não sabia como havia de sair à rua sozinha, com o carrinho e com o ‘ovo’… hoje, já não me sinto assim. Acho que acabamos por nos tornar mais pacientes. Com um filho, sabemos que vamos demorar uma hora a sair de casa. Então começamos a preparar as coisas de antemão (risos)!”

“Quando tive o meu filho, aos 26 anos, era tudo novo. Era uma mãe mais ansiosa, com mais medos”

Numa época em que as figuras públicas são mais escrutinadas do que nunca e em que um simples pormenor, uma frase, uma fotografia, pode gerar milhares de comentários negativos (o caso recente de Carolina Patrocínio, criticada por praticar exercício físico durante a gravidez, é o exemplo perfeito), Cuca Roseta confessa-se imune a essa pressão. “Não sinto só por uma coisa: eu sou a pessoa mais descontraída do mundo! Acho que tem a ver com a minha personalidade. Sempre fui muito natural. Nunca me preocupei com a minha figura mas sempre tive muita sorte porque a minha família tem uma boa genética. Mas sempre gostei de fazer exercício”, relata a fadista, praticante assídua de taekwondo e ioga. “Durante a gravidez, fiz ioga e acho que me ajudou imenso”, acrescenta.

Quanto às redes sociais, Cuca tenta manter o Facebook, Instagram e afins dentro da esfera profissional. “Não sou muito agarrada ao computador, não ligo muito ao telefone nem vejo muita televisão. Gosto de estar na natureza e, quando estou em casa, ou estou a tocar piano, a escrever, a compor, ou estou a ler. E sobra-me pouco tempo. Tenho o meu Facebook profissional, de que gosto muito, é uma ferramenta de trabalho mas não leio comentários. E ainda bem que não vejo porque, às vezes, as pessoas são um bocadinho maldosas. Assim, fico protegida no meu mundo cor de rosa e lá continuo (risos)!”, admite a fadista.

Raquel Costa