Subir

Diga adeus aos dramas no penico

As primeiras noites com o bebé, os dentinhos… e a transição para o penico. Estas são algumas das fases mais desafiantes para os pais, que muitas vezes têm de respirar três vezes no momento de levar as crianças à casa de banho.

O fim das fraldas é um alívio para as famílias por um lado, mas por outro pode ser um verdadeiro pesadelo. Se o recibo do supermercado fica mais curto, com o aguardado desaparecimento dessa pesada despesa, o stress da habituação ao penico e à sanita pode muitas vezes fazer-nos desejar voltar à altura em que carregávamos a mala das fraldas para a casa dos amigos, o médico e o jardim, prontas para qualquer eventualidade. O problema para as crianças não é só ganhar um novo hábito e tornarem-se mais independentes, mas também a dor que podem sentir algumas vezes.
De facto, algumas crianças podem sentir dor quando vão à casa de banho, caso a sua dieta tenha sido alterada recentemente, quando usam uma sanita fora de casa, ou devido à pressão que sentem, tanto a sua como dos pais (mesmo que da parte destes seja inconscientemente) em conseguir cumprir sozinhos a ida à casa de banho. Como consequência, começam a associar a dor a esse momento e desenvolvem medo. Assim, acabam por provocar a retenção das fezes e piorar a situação, pois estas ficam mais duras, secas e volumosas – como permanecem muito tempo no organismo, ficam mais difíceis de evacuar, tornando a experiência ainda mais dolorosa.

É essencial quebrar este ciclo vicioso, que é uma preocupação tanto para os pais como para os filhos. Afinal, as crianças podem desenvolver problemas de prisão de ventre que podem permanecer durante toda a vida. Incentivar as crianças a beber mais água, e incluir na sua dieta uma maior quantidade de fibras solúveis (que se encontram sobretudo nos frutos, nas hortícolas, nas leguminosas e no alimentos com aveia, cevada ou centeio) pode ajudar a ultrapassar o trauma da casa de banho.

Por outro lado, é importante também criar rotinas, como por exemplo encorajar a criança a ir à casa de banho regularmente, garantir que tem os pés bem assentes quando está sentada (tanto no penico como na sanita) e, se estiver a aprender a usar a sanita ou o penico, não tornar este momento uma situação tensa – uma boa ideia é criar sistemas de recompensa, que motivem positivamente este hábito. Se surgir um vestígio de líquido acastanhado na roupa interior da criança, devido à fuga involuntária de líquido fecal, é importante não castigar ou repreender.

Quando estas medidas não se revelam suficientes, os pais podem utilizar produtos de amolecimento das fezes, que facilitam a evacuação e podem estabilizar a relação da criança com a ida à casa de banho. Dulcosoft, cuja fórmula atrai água ao intestino, amolece suavemente as fezes. Pode ser misturado em qualquer bebida e outra vantagem é o seu sabor e odor neutros, para que os mais pequenos não rejeitem o seu sabor. Ideal para resolver este problema desde a raiz (ou do penico…), a solução oral de Dulcosoft pode ser tomada por crianças a partir dos dois anos.

DULCOSOFT® Pó para Solução Oral e DULCOSOFT® Solução Oral são dispositivos médicos para amolecer as fezes duras e secas e facilitar a evacuação. A administração a grávidas e crianças com menos de 8 anos deve ser preferencialmente supervisionada por um profissional de saúde. DULCOSOFT® não deve ser tomado durante mais de 28 dias. Não tome DULCOSOFT® no caso de alergia ao macrogol 4000 ou a qualquer outro ingrediente, se tiver alguma doença intestinal inflamatória grave ou megacólon tóxico, perfuração digestiva ou risco de perfuração digestiva, íleus, suspeita de obstrução intestinal, estenose sintomática ou síndromes abdominais dolorosas de causa indeterminada. Leia com atenção a rotulagem e instruções de utilização. Responsável pela promoção: Sanofi Produtos Farmacêuticos, Lda. (4.0). SAPT.DULC8.17.05.0340. Maio 2017.

pub