Dinamarca inaugura mesquita liderada por uma mulher

Filha de pai sírio e de mãe finlandesa, Sherin Khankan, uma conceituada autora e comentadora dinamarquesa, toma a dianteira e inaugura a primeira mesquita da Escandinávia liderada por uma mulher.

O espaço religioso está situado em Copenhaga e Sherin pretende, com esta iniciativa, lançar o debate em torno de uma “estrutura patriarcal” e promover o debate e o diálogo desta realidade, sobretudo quando tantos refugiados sírios chegam à Europa.

A mesquita Mariam estará aberta todos os dias para homens e para mulheres, exceto às sextas-feiras.

“Conseguimos conciliar as estruturas patriarcais nas nossas instituições religiosas. Não apenas no Islão, mas também no Judaísmo e no Cristianismo e outras religiões. Por isso, gostávamos também de mudar isto”, referiu a mentora deste projeto, que considera que “há uma tradição islâmica que permite às mulheres serem imãs”

As reações por parte da comunidade muçulmana – acrescenta ainda KhanKan ao The Guardian – têm sido bastante positivas. O Canadá, os Estados Unidos e a Alemanha têm já projetos equivalentes em marcha.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

APAV contra a violência no namoro