Hoje não é um bom dia para ter bebés

Fazer o parto em casa dá 3800 euros

A greve de zelo dos enfermeiros especialistas em saúde materna e obstetrícia marcada para hoje está a afetar os blocos de partos das maternidades. A greve convocada pelo movimento Enfermeiros Especialistas em Saúde Materna e Obstetrícia (EESMO) serve para chamar a atenção para as condições de trabalho deste profissionais de saúde que, apesar de prestarem cuidados específicos nesta área da saúde feminina, são remunerados como enfermeiros generalistas.

A greve que se inicia esta segunda-feira está convocada por tempo indeterminado.

Em declarações à agência Lusa, Luís Mós do EESMO, explicou que os enfermeiros especialistas deixam a partir de hoje de prestar cuidados diferenciados em protesto contra o não-pagamento desta especialização, ou seja, assistiram as parturientes apenas dentro dos cuidados gerais.

“Vamos pôr em prática o contrato que temos com o ministério. Ou seja cumprir as funções de enfermeiro generalista”, disse o ativista.

“Há dez anos que estamos a ser usados a nível hospitalar como enfermeiros especializados, mas o contrato que assinámos é de enfermeiro generalista. Portanto, não nos podem impor nem alterar o contrato unilateralmente.”

Segundo a Ordem dos Enfermeiros, que apoia os profissionais neste protesto, existem cerca de 2.000 enfermeiros que, apesar de serem especialistas, recebem como se prestassem serviços de enfermagem comum.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Museus e monumentos nacionais voltam hoje a ter en…