Escolha o calçado desportivo certo, para não sofrer lesões

Quando praticamos desporto, um dos aspetos a que devemos prestar mais atenção é à escolha do calçado. Pode ser tentador utilizar os velhos ténis guardados no armário há décadas, mas aqueles que usamos para caminhar, fazer jogging ou cycling devem apresentar diferentes características. Aliás, as suas malhas, de acordo com últimas técnicas desenvolvidas, detêm respirabilidades e maleabilidades distintas que não só ajudam a desenvolver a técnica da modalidade escolhida, como a proteger sobretudo as articulações.

Por outro lado, também é importante ter em conta o local onde nos vamos exercitar. No caso do jogging, por exemplo, é diferente correr no asfalto, em terra ou pista, pelo que no momento da compra o melhor será optar pelos modelos que melhor absorvam o impacto para evitar lesões nas articulações. Atenção que não é preciso empenhar o ordenado, mas também não adianta poupar ao tostão (já que a saúde acabará por pagar). Encontrará com certeza modelos cujo compromisso entre a qualidade e preço serão vantajosos.

De modo algum devemos também utilizar calçado desportivo “casual”, ou seja aquele que usamos diariamente. Uma t-shirt velha não fará mal a alguém numa aula de body attack, mas o ténis errado não mantêm bem fixo os pés, o que pode levar a movimentos involuntários causadores de roturas, assim como de lesões nos ligamentos ou entorses, cujas sequelas ficarão para a vida.

Tipos de pisada

Outro detalhe desconhecido para muitos: todos pousamos o pé no chão de forma distinta, o que pede calçado com diferentes características, principalmente quando falamos de corrida (mas também se aplica a muitas outras atividades).

A pisada neutra tem por característica o impulsionar da passada com a parte frontal do pé. É típico de quem possui um arco do pé médio. O tipo de calçado aconselhado é o neutro ou de estabilidade (normalmente a designação está na prateleira de demonstração, mas pergunte sempre ao assistente de loja).

O segundo tipo é o de pronada, o mais comum – aquele em que se utiliza a ponta dos pés, principalmente o dedo grande, para dar impulso ao movimento, dado que a planta do pé tem um arco pequeno ou inexistente (o chamadao pé chato). O tipo de ténis aconselhado é o que garante maior controle de movimento, combinando estabilidade e amortecimento para evitar pronação excessiva (rotação interna). Este tipo de corredor pode sofrer lesões, principalmente nos joelhos e ancas, se não utilizar o calçado correto.

Por fim, há ainda a pisada supinada, aquela em que o desportista utiliza a parte externa do pé e, principalmente, a área do dedo mínimo para se impulsionar. É pouco comum e dá-se quando se possui um arco do pé acentuado.

Como escolher o melhor? Só fazendo testes (demoram cinco minutos) e consultando lojas de desporto com técnicos especializados que fazem a avaliação do tipo de passada. A Decathlon e a SportZone, por exemplo, oferecem esse tipo de serviços. Depois, é só escolher o modelo mais adequado. Veja a nossa galeria e conheça as propostas mais recentes de algumas marcas.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

ABC do pão: afinal o que é que andamos a comer?…