Estudo: mulheres avançam mas devagar até ao topo das empresas

‘When Women Thrive’, ou em Português, ‘quando as mulheres avançam’ é o nome do estudo apresentado hoje no Museu da Eletricidade, em Lisboa. E a principal conclusão do estudo da Mercer Global, uma consultora de recursos humanos, é que não estamos a avançar assim tanto, e que para chegarmos ao topo das empresas, a CEOs, é preciso fazer mais.

De acordo com o relatório, as mulheres representam globalmente menos de 40% da força de trabalho e essa percentagem diminui ainda mais quando falamos de postos de chefia: são apenas 33% dos gestores, 26% dos gestores seniores e 20% dos executivos.

Na Europa as mulheres representam 21% dos executivos, e aqui Portugal está acima da média tendo 24% dos executivos de topo. Aliás Portugal está acima da média global também no que respeita ao envolvimento das mulheres no mercado de trabalho: somos 45% dos recursos humanos do país.


Conheça Inês Caldeira, CEO da L’Oréal Portugal


As razões para estes números também são apontadas pela Mercer. No estudo afirma-se que a gestão do talento feminino está a empurrar as mulheres para fora do círculo do poder, já que apenas 57% das empresas têm as chefias seniores envolvidos nas iniciativas de diversidade e inclusão. Planos de saúde e gestão parental equilibrada parecem ser também peças chave do caminho para a igualdade laboral entre homens e mulheres.

 

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Porque é que elas continuam a ganhar menos do que…