Subir

Facebook salva mulheres em Portugal

Dez mulheres por mês. Esta é a média de salvamentos que a GNR conseguiu efetuar após denúncias de violência doméstica feitas na página de Facebook, noticia hoje o Diário de Notícias. O porta-voz do comando geral da Guarda, major Marco Cruz, refere o aumento da utilização da rede social para denunciar situações de risco para as mulheres:

“No final do ano chegou-se a uma média de 10 denúncias por mês deste crime no Facebook, quando no início desta iniciativa, em fevereiro, recebíamos apenas dois ou três alertas”.

O número total de queixas efetuadas é de 45 em 2015 e acredita-se que o número venha a crescer em 2016. Ao mesmo tempo que as delações aumentam, a rapidez da resposta há de determinar que menos mulheres sofram maus tratos ou acabem por morrer vítimas de agressão por parte do cônjuge.

O DN cita o major Marco Cruz que conta como “uma mulher residente em Leiria foi salva de um provável desfecho trágico porque ‘um amigo viu um post seu no Facebook e partilhou-o na página da GNR’. O alerta fez com que a Guarda fosse ao local averiguar o que se passava e constatar que era um caso de agressões reiteradas há algum tempo. “A vítima recebeu apoio e o agressor teve uma medida de afastamento. Foi uma intervenção a tempo, graças ao alerta no Facebook . Hoje, esta mulher podia não estar viva,” lê-se na notícia.

Em 2015, 29 mulheres perderam a vida em contexto de violência doméstica, e mais de 30 foram vítimas de tentativa de homicídio. Desde 2004, foram registadas 428 mortes de mulheres às mãos dos companheiros ou maridos e 497 tentativas de crime.