Subir

Figuras da televisão apadrinham petição lançada pelo IPO-Porto

O IPO-Porto quer instituir o dia 20 de março, o primeiro da Primavera, como o Dia Nacional da Esperança. Para isso, lançou esta segunda-feira uma petição online, no seu site, e convida a sociedade civil a juntar-se à iniciativa. O objetivo é reunir quatro mil assinaturas para levar a proposta à Assembleia da República. Miguel Guedes, Carla Ascensão, Jorge Gabriel e Ana Bravo são os embaixadores da campanha.

“A criação da petição é o culminar de dois anos de iniciativas de envolvimento com a sociedade promovidas pelo IPO-Porto, com o apoio da Roche, num esforço de sensibilização para a importância da investigação no tratamento do cancro. Os avanços científicos verificados nesta área têm permitido prolongar e melhorar a qualidade de vida de muitos doentes, proporcionando mais esperança a todos aqueles que são diagnosticados com algum tipo de cancro”, diz o Instituto Português de Oncologia do Porto em comunicado.

O IPO-Porto refere que trata-se de uma “ação simbólica” que nasceu como forma de relembrar “a importância da investigação clínica” e que “pretende agora ser também uma homenagem a cuidadores, profissionais de saúde e sobretudo ao doente oncológico, que encontra na esperança um apoio crucial no processo de tratamento”.

“A evidência científica tem demonstrado a importância da esperança no contexto de doença grave, quer na adaptação a esta, quer na melhoria do bem-estar e qualidade de vida do doente”, acrescenta o oncologista José Dinis na mesma nota.

“No IPO-Porto, a esperança é transversal a doentes e profissionais: esperança de sobrevivência, esperança de melhoria da qualidade de vida, esperança de tratar cada vez melhor, e com mais eficácia, os nossos doentes. Por isso, a criação deste Dia nasce como uma forma de homenagem, mas simboliza, sobretudo, a confiança no progresso científico e na capacidade de tratar o cancro com cada vez mais sucesso”, refere Laranja Pontes, Presidente do Conselho de Administração do IPO-Porto.

A juntar à petição, na próxima quinta-feira, dia 23, realizar-se-á um debate sobre esta iniciativa.

Ana Filipe Silveira