Filme de Markl ensina a “flirtar” em supermercados

O humor icónico a que Nuno Markl nos tem habituado vai chegar às salas de cinema nacionais na quinta-feira, dia 25. O filme Refrigerantes e Canções de Amor, escrito por Markl e realizado por Luís Galvão Neves, conta as peripécias entre Lucas Mateus (interpretado por Ivo Canelas), um músico falhado que ganha a vida a compor jingles para marcas de sumos, e uma dinossaura cor-de-rosa (Victoria Guerra) por quem se apaixona num supermercado de bairro.

A história, que por si só já tem piada, torna-se mais engraçada quando Markl confessa na antestreia que o filme é quase uma autobiografia sua. Escreveu-a em 2007, quando se separou da primeira mulher. Numa ida solitária ao supermercado deu por si a pensar na marca de papel higiénico que preferiam e das bolachas que compravam em conjunto. chegou a casa deprimido e desatou a escrever a história que hoje ganha vida em Refrigerantes e Canções de Amor.


Leia também o artigo: Nuno Markl desenhou Beatriz, heroína de iniciativa solidária


No início do filme, Lucas Mateus tem uma banda de sucesso ao lado da namorada (Lúcia Moniz) e do melhor amigo, Pedro Capelo (João Tempera). A banda acaba por separar-se e Pedro constrói uma sólida carreira a solo enquanto Lucas, sem sucesso no mundo da música, dedica-se a fazer jingles para marcas de sumos. A namorada de Lucas, que é também agente de Pedro, acaba por trair o namorado com o seu melhor amigo.

Destroçado, Lucas começa a ver um Jorge Palma imaginário (interpretado pelo próprio cantor), que o aconselha a reagir ao desgosto amoroso e sair de casa para comprar comida. No supermercado do bairro onde vive, o músico conhece o DJ do estabelecimento (André Nunes). O novo amigo ensina-o a fazer “carrinhologia”, a arte de engatar olhando apenas para o que cada um leva nos carrinhos de supermercado e perceber as características de cada um de acordo com as compras que levam.

Entre os vários engates, o músico conhece um brasileiro mulherengo (Gregório Duvivier, da Porta dos Fundos) que lhe dá dicas amorosas e a dinossaura cor-de-rosa – desenhada pelo próprio Nuno Markl – que faz publicidade a uma das marcas de sumo para a qual Lucas compôs um jingle. Após várias conversas e um jantar numa hamburgueria, a misteriosa mulher por trás do fato revela-se fã das músicas de Lucas e acabam por apaixonar-se. O amor é correspondido, mas o músico vê-se à rasca para convencer a dinossaura cor-de-rosa a despir o fato e a render-se aos seus encantos.

Dinossaura cor-de-rosa
Ilustração de Nuno Markl

Pelo meio, ainda há tempo de ver Pedro Capelo a não olhar a meios para atingir o fim de ter ainda mais sucesso na carreira musical. Determinado a planear ao pormenor a própria morte, contrata Navalhas (Sérgio Godinho), um assassino que acaba por revelar-se um verdadeiro romântico.

Refrigerantes e canções de amor
Cartaz do filme Refrigerantes e canções de amor

Durante os 98 minutos de Refrigerantes e Canções de Amor, o difícil é conter as gargalhadas. E neste filme não é só o humor que é de qualidade. As músicas originais – algumas escritas pelo ator João Tempera – também fazem as delícias dos espectadores. No final da antestreia no Cinema São Jorge foram poucos os que conseguiram não aplaudir o trabalho de Nuno Markl e companhia, que tem tanto de bizarro como de encantador.

Veja o trailer do filme:

a carregar vídeo

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Petra Costa: “Se a moral imperar não existe cin…