Subir

Mulheres enriquecem mais depressa do que homens

Zhang Xin fez fortuna no setor imobiliário (REUTERS/Denis Balibouse)

O número de multimilionários do sexo feminino aumentou, praticamente sete vezes nos últimos 20 anos, para 145 – e são as empresárias asiáticas que mais têm impulsionado esse crescimento –, segundo um estudo do banco suíço UBS e da consultora PriceWaterhouseCoopers (PwC).

O relatório destaca que o número de mulheres a entrar para o clube dos milionários aumentou a uma velocidade superior ao dos homens. As multimilionárias cresceram 6,6%, face aos 5,2% relativos ao sexo masculino. Em 1995, elas eram apenas 22.

mulheres ultrapassaram os homens

Milionárias ‘self-made’
Nomes como Liliane Bettencourt, a herdeira de 93 anos da L’Oréal, e Christy e Alice Walton, da família do Walmart, já há muito que constam das listas das mais ricas. Mas a elas, juntam-se cada vez mais milionárias ‘self-made’ de países como a China, Hong Kong e Índia. Zhang Xin (na foto), magnata do setor imobiliário, de 50 anos, é um dos exemplos: trabalhou numa fábrica de roupa a partir dos 14 anos, ganhando o suficiente para um bilhete de avião que a levou para Inglaterra, onde estudou na Universidade de Sussex – hoje é dona de um património avaliado em 2,76 mil milhões de euros.

Cerca de 80% das mulheres multimilionárias são dos Estados Unidos e da Europa. Segundo o mesmo relatório, a Ásia registou o maior crescimento de fortunas feitas por mulheres.

B.C.M.