Haverá sexo quando não há intimidade?

shutterstock_391663060

Há quem ache que o sexo e a intimidade são uma e a mesma coisa, e quem pense que um sem o outro é pouco mais que uma perda de tempo ou um pecado inominável. Temos este hábito estranho, sobretudo em questões de sexualidade, de nos pintarmos a preto e branco, e logo numa área tão recheada de cinzentos. Achamos sempre que só podemos ter sexo escorado na relação – e que o sexo fora dela é, no mínimo, um disparate – ou que a cama só é boa quando não tem as amarras e o quotidiano preenchido pela mesma pessoa – porque só a diversidade nos traz felicidade sexual. E é, justamente, neste extremar de posições que ficamos encalhados. Se não, vejamos.

A intimidade é vista como aquilo que todos queremos atingir mas muitos dificilmente o conseguem. Porque para que ela exista verdadeiramente (seja este lado de verdade aquilo que for para cada um) precisamos de mais do que uma sessão de sexo. Para início de conversa, é preciso tempo com o outro, vida vivida, mais de o que a descoberta de corpos, e implica que nos entreguemos, que nos mostremos, que nos dispamos verdadeiramente, além da roupa que nos tapa a pele. Os desejos, as angústias, os medos, tudo isto vem a par do quentinho que a intimidade nos traz e que o sexo ajuda a construir.

Por outro lado, o sexo, puro e duro, é aquilo que podemos ter sozinhos (se o encararmos como mais do que a penetração) ou com outra pessoa e que, de uma forma simplista, fazemos para termos prazer, umas vezes com orgasmo, outras nem por isso, mas sempre prazer.

Aquilo em que somos condicionados a pensar é que o prazer supremo reside na combinação de sexo satisfatório com uma intimidade recheada, que é ai que reside a verdadeira felicidade que, uma vez encontrada, devemos cuidar para manter. Mas se nem todos os chapéus têm as mesmas medidas, por que razão a intimidade, e não o sexo, deve ser um objetivo partilhado por todos? Por que razão uma vida feita de sexo sem intimidade – que é diferente de sexo sem ligação – não pode trazer o mesmo grau de felicidade, ainda que assente em premissas diferentes?

Mesmo que a ideia nos seja estranha, a verdade é que não faltam pessoas que fogem da intimidade como outras fogem do sexo casual. E mesmo que nos ensinem que o ideal é encontramos alguém com quem viver em paz nas metades de uma laranja cheia de sumo, também é certo que a simples ideia de partilhar o sono depois de uma noite de sexo não é natural para muitos do que agora estão a ler este texto. O que não significa que não procurem uma ligação sexual, que até pode extrapolar os limites da cama mas não entra em domínios mais internos e, justamente, íntimos.


Leia também Quem tem medo da masturbação feminina


Posto isto, é possível haver sexo sem intimidade? E de que serve a intimidade se o sexo não existir? Tradicionalmente, estas esferas eram, de facto, a mesma coisa, mas a modernidade e a chamada cultura do “engate” tratou de separar o que, em tanta gente, pertence a universos distintos. Sexo é sexo, tudo o resto fica de fora do acordo onde os corpos e o prazer têm mais destaque. Ou, tal como disse Woody Allen, “o sexo sem amor é uma coisa vazia mas, dentro das coisas vazias, é a melhor coisa que há.”

Nem sempre o sexo origina ligações profundas. Nem sempre os parceiros pretendem mais do que umas horas bem passadas sem que isso implique o desvendar de objetivos, aspirações e pretensões de uma vida que se quer acompanhada. Há quem defenda que estas ligações sexuais são pretendidas por pessoas com medo de intimidade, ou seja, medo de se tornarem vulneráveis a um sentimento de apego , também conhecido como “amor”. Seja como for, elas existem (as pessoas e as ligações), por isso, não vale a evangelizarmo-nos ao ponto de nos barricarmos dentro de ideias que não nos trazem nada de bom. Até porque a vida não se compadece com vistas tão herméticas. O que nos serve hoje pode não caber amanhã.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

WikiLeaks revela milhares de emails que fragilizam…