Subir

Este carro não é para show off, é para quem gosta de guiar

Primeira impressão: o Kira Niro é bonito e discreto. O novo automóvel da construtora coreana entrou no mercado português este ano e foi uma boa surpresa para esta que vos escreve que ainda tinha um certo preconceito em relação à marca coreana. Que preconceito? Que a Kia faz carros pequenos, frágeis e de baixa potência, enfim, culpa dos primeiros carros coreanos a chegarem à Europa e que eu conheci tão bem.

Já tinha conduzido as duas últimas versões da Sportage e tinha gostado – era um carro grande e dinâmico, embora a característica de todo o terreno se resumisse quase à aparência.

Este Kia Niro é o oposto: não se dá por ele mas é uma beleza de condução. É bonito, discreto e não se imagina por fora o que se encontra por dentro. Não parece grande mas tem um habitáculo generoso, onde cabem cinco adultos sem apertos. É hibrido e tem uma bagageira enorme onde o motor elétrico parecer não ter feito mossa ao espaço de carga. Também no que toca à segurança o carro é robusto e por isso parece seguro.

Mas é na estrada que o Kia Niro mais se revela. Como o chassis e a carroçaria são baixas a condução é segura. As reações ao acelerador e ao travão são imediatas, incluindo as reduções para ultrapassar, o que põe este carro no top dos automáticos nesse departamento. A condução é assistida por alguns sensores como o de distância em relação ao carro da frente, os laterais para as ultrapassagens e um que funciona nas estradas com traçado nas bermas para dirigir o carro para o eixo de condução equidistante entre as margens. A baixa velocidade acaba por ser divertido ver o carro a orientar-se sozinho para o lugar mais seguro.

Tudo somado, o Kia Niro dá a sensação de ser um bom carro sem se notar demasiado.

Ficha Técnica:

Kia Niro, 1580 cm3, transmissão automática, €29.992.

 

CM