Subir

Madonna apela ao voto: “Acordem, isto não é um ‘reality show'”

Dois dias antes de os norte-americanos decidirem quem será o sucessor de Barack Obama na Casa Branca, Madonna apelou ao voto nas redes sociais numa publicação onde reflete, sem “papas na língua”, sobre o duelo entre Hillary Clinton e Donald Trump e sobre o atual panorama político nos EUA.

“Vamos ao que interessa. Não queremos um homem que odeia pessoas de cor e mulheres e que é antissemita a governar este país. Não queremos que seja construída uma muralha à volta dos EUA, paga com o dinheiro que nos custou a ganhar”, começou por frisar, este domingo, a “rainha da pop”.

Ok Lets Get. Down to Business! We Do not want a Man who hates people of Color and Women and who is Anti-Semitic (look up the root meaning of Semitic) to Run this Country. We do NOT WANT a WALL built around the U.S. paid for with our hard earned money!!! All Politicians Lie. ALL!! Even our most Beloved and Esteemed. Can we please get off the email scenario. What did the F.B.I. Prove this time? Can we. focus on the Bigger Picture??! If Trump were elected we would be at War in no time at all. The whole World is laughing at us right now. I can only imagine what Trump writes in his e-mails. Wait-Can he even Write?? Wake up People this is not a reality show. I appreciate his charm and entertainment value but he is not qualified to be a Head Of State! FACTS! Vote Clinton or we are all FUCKED. 🇺🇸🔫

A post shared by Madonna (@madonna) on

Sobre a nova investigação em torno de e-mails de Hillary Clinton [a candidata que apoia] por parte do FBI, Madonna atira: “Todos os políticos mentem. TODOS! Mesmo aqueles que gostamos e estimamos. Podemos esquecer esta história dos e-mails? O que é que o FBI conseguiu provar desta vez? Podemos focar-nos no cenário geral? Se Trump for eleito, entraremos em guerra imediatamente. O mundo inteiro está a rir-se de nós neste momento. Nem imagino o que escreve Trump nos seus e-mails. Conseguirá ele sequer escrever? Acordem, pessoas. Isto é não é um reality show. Aprecio o seu carisma e valor como entertainer, mas não tem qualificações para ser Chefe de Estado”, acrescentou Madonna.

A cantora norte-americana de 58 anos tem, por hábito, tornar pública a sua preferência nas presidenciais nos EUA. Em 2008, por exemplo, apoiou publicamente Barack Obama na sua corrida à Casa Branca.

Por: Nuno Cardoso // Fotografia: Reuters