Mulheres presas por não usarem véu nas redes sociais

Foram detidas oito mulheres por postarem fotografias suas sem hijab, e foram feitos avisos a mais 21, sob a acusação de terem praticado atos anti-islâmicos.

Desde 1979 que o uso de véu é obrigatório para todas as mulheres no Irão, o controlo tem sido feito em todas as esferas e a internet está sob vigilância apertada.

Na segunda-feira foi detido Mahdi Boutorabi, administrador de um servidor para a criação de blogues, o equivalente ao WordPress, a funcionar no Irão desde 2001. Esta detenção foi feita no âmbito da operação “Spider II” que visa punir declarações e atos anti-islâmicos ou ações que incentivem esse tipo comportamentos. Compreenda-se que o simples fato de mostrar o cabelo, dançar ou deixar que se perceba algum contorno de corpo, é razão suficiente para poder ser presa e acusada. Tendo em conta as premissas com que são feitas as detenções é natural que os principais alvos sejam as mulheres. A “Spider II” tem como principal alvo as redes sociais estando sobretudo atenta às publicações feitas no Instagram.

Foram detidas oito mulheres por postarem fotografias suas sem hijab, e foram feitos avisos a mais 21. No domingo, foi transmitido ao vivo, pela televisão estatal iraniana, o depoimento de Elham Arab, uma das modelos detidas, que explicava ao procurador de Teerão que se arrependia dos seus atos, incluindo a publicação de fotos sem véu e aconselhava as mulheres iranianas a não cometerem o mesmo erro.

As pessoas ligadas à moda têm sido aquelas que têm passado por um maior controlo já que como esclareceu Javad Babaie, juiz do tribunal para a cibercriminalidade, na televisão estatal italiana, 20% da rede Instagram do Irão era controlada pelos círculos da moda e cerca de 60% dos utilizadores iranianos seguiam essas contas. Quanto às oito detenções, Babaie diz que as mulheres “estavam a divulgar conteúdo imoral e uma cultura anti-islâmica”, sendo obrigação da justiça “agir contra aqueles que cometem esses crimes de forma organizada”.

De acordo com a declaração oficial, a operação “Spider II” já identificou um total de 170 pessoas incluindo 59 fotógrafos e maquilhadores, 58 modelos, 51 gerentes de casas de moda.

Apesar de ser na área da moda que tem havido mais detenções, esta operação é transversal a todas as áreas e dura há, pelo menos, dois anos. Em 2014 um grupo de homens e mulheres foi detido por publicar um vídeo a dançar a música Happy de Pharrel Williams, cada um dos intervenientes no vídeo foi condenado a 91 chicotadas e pena suspensa de seis meses de prisão.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Contratos de associação: 5º, 7º e 10º anos co…