Museu de Arte do Rio com exposição dedicada à princesa Leopoldina

O Museu de Arte do Rio, no Rio de Janeiro, Brasil, tem atualmente uma exposição dedicada à mulher que foi princesa do Brasil e rainha consorte de Portugal e dos Algarves, durante dois meses em 1826: a princesa Leopoldina.

Com o nome de ‘Leopoldina, princesa da independência, das artes e das ciências’ esta exposição tem como principal objetivo apresentar ao público a vida de uma das personalidades mais importantes no processo de emancipação do Brasil. Foi ela que presidiu à reunião do Conselho em que decidiu a independência. No próximo ano, a 5 de novembro, comemora-se 200 anos desde a sua chegada à cidade brasileira.


Leia também o artigo: Charlotte Casiraghi: a amazona que não quer ser princesa


O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa, que foi até ao Brasil assistir à cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos, visitou a exposição.

“Como é que nunca foi feito um filme sobre D. Pedro e D. Leopoldina? Porque é a génese do Brasil. Se fosse nos EUA estava feito”, afirmou, espantado, Marcelo.

Veja, na galeria de imagens acima, alguns dos objetos da princesa que vai poder encontrar na exposição.

Quem foi a princesa Leopoldina?
Maria Leopoldina Josefa Carolina nasceu em Viena de Áustria a 22 de janeiro de 1797. Filha do imperador Francisco II, tornou-se arquiduquesa de Áustria.

D. João VI encarregou o 6.º marquês de Marialva, D. Pedro José Joaquim Vito de Meneses Coutinho, de ir até à Áustria pedir a arquiduquesa em casamento para o seu filho, o príncipe D. Pedro de Alcântara. O marquês não poupou nos luxos. A sua embaixada foi uma das mais sumptuosas a apresentar-se em Viena e a arquiduquesa de Áustria acabou por casar-se com o príncipe português, que mais tarde foi D. Pedro IV de Portugal e I do Brasil.

Depois do casamento foi o mesmo marquês de Marialva quem acompanhou a nova princesa do Brasil até ao Rio de Janeiro, onde chegou a 5 de novembro de 1817.

Conhecida por ser gentil, simpática, inteligente, instruída e bondosa, a princesa Leopoldina foi uma das pessoas mais importantes no processo de independência do Brasil. Foi ela quem presidiu à reunião do Conselho de Ministros que concedeu a independência ao país, em 1822. Contudo, a história sempre fez do seu marido, D. Pedro I, o único herói do processo.

A princesa Leopoldina foi casada com D. Pedro I durante nove anos e teve seis filhos. A primeira foi a rainha D. Maria II, o segundo o príncipe da beira D. João Carlos – que morreu sem ter completado ainda um ano – e a terceira a princesa D. Januária, que casou com o príncipe das Duas Sicílias e conde de Áquila Luís Carlos de Bourbon. Depois, em quarto lugar, nasceu a princesa D. Paula Mariana, que morreu aos 10 anos, em quinto a princesa D. Francisca que casou com o príncipe de Joinville Francisco de Orleães e, por último, o príncipe D. Pedro de Alcântara, que foi imperador D. Pedro II do Brasil.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Vá a correr salvar os linces da serra do Algarve!…