#PantyChallenge, o novo desafio ao corpo da mulher

Há um novo desafio na Internet. Chama-se #PantyChallenge e leva jovens mulheres a fotografar a sua roupa interior e a publicar as imagens no Snapchat e nas redes sociais.

O objetivo é mostrar as cuecas, aparentemente usadas, completamente limpas e sem qualquer vestígio de corrimento vaginal, refere um artigo da edição britânica do jornal ‘Metro’.

Esta nova tendência, que até ao momento não tem cativado a maioria das mulheres, está, contudo, a gerar alguma preocupação por criar nas jovens e adolescentes uma perceção errada e negativa do corpo da mulher.

O corrimento vaginal não só é normal como é saudável e desejável que ocorra. É uma forma natural de a própria vagina fazer o seu processo de limpeza. Ao contrário do que este #PantyChallenge parece sugerir, não é sinal de falta de higiene nem algo que deva ser visto como “nojento”.

Esse preconceito, que está, muitas vezes, do lado masculino – tal como acontece sempre que se fala em período e menstruação – começa a reproduzir-se nas próprias mulheres, que se envergonham dos seus corpos e tentam a todo o custo combater aquilo que lhes é natural.


Leia também: Menstruação: porquê tanto estigma em volta do sangue?


Em janeiro deste ano, o mesmo jornal noticiava uma outra tendência: a colocação de bolas de ervas na vagina para fazer um “detox” do útero. Trata-se de pequenos sacos que contêm uma mistura de ervas, sendo as mulheres aconselhadas a manterem-nos até três dias na vagina para “limparem o útero e se reequilibrarem”.

Os ginecologistas alertam que estes produtos não só não vão eliminar “toxinas” do útero, uma vez que estas não existem, como são potenciais causadores de infeções. Deixar um objeto estranho à vagina no seu interior durante mais de um dia causa sintomas de irritação e esses sim podem provocar um excesso de corrimento. O que acontece também em caso de infeção ou na ausência de bactérias boas.

Mesmo os sabões, geles, anticéticos, produtos perfumados e duches vaginais podem interferir com os níveis de PH e o equilíbrio das bactérias na vagina. Se este equilíbrio for perturbado, pode gerar infeções, como vaginose bacteriana ou candidíase, bem como inflamações.

O corrimento é, portanto, uma forma de secreção de defesa da mucosa vaginal e é também um indicador de saúde. Um corrimento saudável tem normalmente um aspeto translúcido, tipo clara de ovo, que em contacto com o penso diário ou a roupa interior pode adquirir uma cor mais amarelada. Se o corrimento em si tiver uma cor esverdeada, amarela ou acastanhada e produzir um odor forte, e a mulher não estiver menstruada, é sinal de que se pode estar perante uma infeção e de que se deve consultar um médico.

Imagem de destaque: Marko Marcello/Shutterstock

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

EUA: Virginia proíbe casamentos de menores de 16 …