O que marcou o sexo em 2015

Retiros sexuais, o sexo ecológico e a utilização de emoticons eróticos nas mensagens marcaram o ano de 2015, no que ao sexo diz respeito. Segundo um artigo publicado no El País Brasil, heart hunting sentimental (recrutamento de parceiros estáveis) e encontros não focados na penetração, foram outros grandes temas sexuais do 2015.

Para a sexóloga Marta Crawford, só esta última faz algum sentido, mas a grande tendência para o futuro deveria ser “os casais viverem em intimidade de forma genuína, dizendo o que gostam e o que não gostam, sem terem medo que o outro se vá embora”.


Leia também o artigo Swing: há cada vez mais adeptos da troca de parceiro


Chamam-lhe “eco sex”. A tendência de tornar o sexo mais ecológico rege-se por alguns princípios como tomar banho a dois para economizar água e apagar as luzes ou usar velas. Mas há muito mais para quem quiser tornar a sua vida sexual mais verde: vibradores a energia solar ou brinquedos eróticos sem PVC. Em Berlim, na Alemanha, já há, inclusive, uma sex shop ecológica – Other Nature – que, além de lubrificantes ecológicos, vende, por exemplo, chicotes feitos de pneus de bicicletas reciclados.

Na opinião de Marta Crawford, “o mais ecológico que há é não recorrer a qualquer adereço, fazer tudo de forma o mais natural possível”. Para isso, partilha da opinião de que, à semelhança do que diz o El País, a “focalização sensorial” foi uma tendência em 2015 e que deve continuar. Muitas vezes usada como indicação terapêutica para as disfunções sexuais masculinas e femininas, é uma técnica que proíbe o coito e que se centra, essencialmente, na massagem corporal. “É uma das recomendações que faço a todo os casais. É estarem um com o outro sem a pressão da execução de determinada performance sexual, trabalharem os sentidos, as terminações nervosas”, diz a sexóloga. Com este método, “que pode ser um jogo erótico muito interessante”, a “excitação é elevada a um outro nível”.

Os flirtmojis, uma reinvenção dos emoticons, bonecos que ganharam uma dimensão erótica com esta invenção foram a grande novidade de 2015. Nesta coleção, estão representadas as várias partes do corpo, preservativos, bonecas insufláveis, algemas e muito, muito mais. Para poderem ser usados nas mensagens, os ícones têm de ser descarregados no site do projeto, onde, além dos gratuitos, existem algumas coleções pagas. Para a sexóloga Marta Crawford, não são estes ícones “que vão aumentar o entusiasmo. As pessoas já falam tão pouco, que, se usarem só bonecos, perdem a capacidade de se expressarem”, refere.

Em 2015, um nova técnica para encontrar parceiro amoroso apareceu nos Estados Unidos da América: a heart hunting. Basicamente, utiliza as técnicas dos headhunters (seleção de executivos talentosos) para encontrar parceiros para relações estáveis. Por 3500 euros, há apresentação de candidatos e sessões com um coach para o cliente ao longo de seis meses, prazo que pode ser alargado para doze.

Só para senhoras surgiram os retiros sexuais. A ideia é que num período curto as mulheres possam descansar e reabrir espaço mental para o sexo. O Shh, é um spa no Reino Unido que organiza estes retiros só para mulheres com esse propósito. “É uma viagem física e emocional conduzida por uma equipa de profissionais do sexo feminino, projetado para ajudá-la a conectar-se com a sua feminilidade, a recuperar a sua sexualidade, curar feridas emocionais e ganhar confiança”, lê-se no site. Terapia sexual, acupuntura e massagens são algumas das propostas do programa que, a estender-se por uma semana, custa cerca de sete mil euros.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

“Engate” ou relação duradoura?