O Reino Unido vai a eleições e são nove as mulheres que vão mudar Europa

As eleições antecipadas no Reino Unido são já na quinta-feira, 8 de junho. Theresa May, a ainda primeira-ministra vai a votos e vai medir o pulso à sua própria influência a todos os territórios da Grã-Bretanha. Do outro lado da barricada está o trabalhista Jeremy Corbyn, que conseguiu encurtar, em grande margem, as intenções de voto face à conservadora nas últimas semanas.

De acordo com a sondagem do instituto Survation e divulgada pelo canal ITV. Se, no início da campanha para as legislativas antecipadas de quinta-feira, em março, os conservadores da primeira-ministra, Theresa May, contabilizavam 20 pontos percentuais de vantagem sobre os trabalhistas liderados por Jeremy Corbyn.

A sondagem divulgada hoje, do instituto Survation, vem atribuir aos ‘tories’ 41,5% das intenções de voto e ao ‘Labour’ 40,4%.

Por isso, é tempo de recordar quem são as mulheres britânicas que estão a conduzir este estratégico jogo de xadrez que pode começar a mudar para sempre a União Europeia como a conhecemos e o Reino Unido tal como está.

Em terras de Sua Majestade, as ligações podem complicar-se. Por isso, o Delas.pt foi ouvir Helena Carrapiço, professora portuguesa em Relações Internacionais, que dá aulas na Universidade de Aston, no Reino Unido. A investigadora e docente, de 37 anos, explica o processo das eleições legislativas e do Brexit e que está – sobretudo – nas mãos do sexo feminino.


Recorde as manifestações que já tiveram lugar

As celebridades e o Brexit e as consequências para a moda


De Londres, a Edimburgo, da Irlanda do Norte ao País de Gales, conheça o poder, o histórico e as relações que existem entre estas líderes e a margem que têm para alterar a História.

Na lista – e que pode ficar a conhecer na galeria de imagens acima – estão as primeiras-ministras Theresa May e Nicola Sturgeon, estão as representantes máximas da Irlanda do Norte Arlene Foster e Michelle O’Neill, a chanceler alemã Angela Merkel, mas também as que prometem chegar e, quem sabe, revolucionar.

Neste xadrez é, curiosamente, a rainha quem tem menos poder. A toda-poderosa chefe de Estado Isabel II pode fazer pouco face ao poder das mulheres que se agigantam neste momento político.

Saiba quem é quem e em que tabuleiros jogam.

Imagem de destaque: Pool New/Reuters

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Ativista dos direitos das mulheres detida na Aráb…