Obama quer igualdade salarial entre homens e mulheres

O presidente dos Estados Unidos da América quer que as empresas privadas, com uma centena de funcionários ou mais, informem as autoridades sobre os pagamentos feitos aos empregados, discriminados por género, raça e grupo étnico.

O presidente dos Estados Unidos da América quer que as empresas privadas, com uma centena de funcionários ou mais, informem as autoridades sobre os pagamentos feitos aos empregados, discriminados por género, raça e grupo étnico. A proposta apresentada sexta-feira, 29, pela administração de Barack Obama refere que será a Comissão para a Igualdade no Emprego a recolher estes dados, procurando promover a igualdade salarial entre homens e mulheres.

“Nós não podemos saber o que não sabemos. Não podemos cumprir a promessa da igualdade de remuneração a menos que tenhamos a informação mais detalhada sobre o que as pessoas ganham,” afirmou o Secretário do Trabalho, Thomas Perez.

Recorde-se que, nos EUA, o salário médio anual de uma mulher é de 39.600 dólares. Os homens recebem mais, em média, 20 mil dólares.

Por cá, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística, atualizados em dezembro último, a diferença salarial entre homens e mulheres está nos 165 euros mensais. Os primeiros auferem, em média, uma remuneração base média mensal de 985, 02 euros e o sexo feminino 820, 25 euros.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Este país não é para mulheres na tecnologia