Os melhores desportos para praticar em 2017

Em cidades como Nova Iorque ou Londres, as tendências de fitness mudam rapidamente: arriscamos a dizer que semana sim/semana não surge uma aula ou um estúdio novo. O comportamento aluno/ginásio tem mudado e hoje em dia é um pouco diferente do lusitano: ao invés de ter uma mensalidade num ginásio onde vão fazer todas as aulas, quem quer ficar e estar em forma frequenta vários.


Veja também os artigos:
Festas de passagem de ano gratuitas pelo país
Shots de Oreo vão fazer furor em 2017
Os melhores desportos para praticar em 2017


“Como? Já nem vou a um e tenho de ir a vários?”, perguntará a leitora. Não é bem isso, mas antes procurar em estúdios especializados a aula que mais lhe apetece fazer, ou necessita para determinada altura, sem ter obrigação de ir sempre ao mesmo sítio e conviver com as mesmas pessoas. Por exemplo: à segunda-feira uma aula de bicicleta para derreter os excessos do fim de semana numa SoulCycle; à quarta uma de Cross Fit numa box, para fortalecer e ganhar músculo; à sexta uma aula de Boxe para queimar o jantar da noite anterior num ringue como o 12 Rounds Boxing; e ao sábado uma aula de Pilates ou yoga num estúdio como Heart Core, super zen e no qual se sente como num spa.

Sai mais caro? Depende, porque quando a oferta é muita (e nas cidades acima referidas é), o preço por aula também diminui. Mas este sistema também obriga a que quem o pratica tenha mais conhecimento do seu corpo e grau de condicionamento, pois o acompanhamento pelo professor não é tão eficaz. Por cá, estamos ainda longe deste cenário, ainda é mais vantajoso estar matriculada num ginásio e aí rentabilizar as aulas. Se fizer poucas, talvez seja mais eficaz para o seu corpo trabalhar com um Personal Trainer (PT). Em voga continua tudo o que integre corpo e mente e, nos antípodas, o que a vai deixar musculada – não se assuste, continuará feminina. Venha daí.

1/ Cross Fit

Adeus pernas flácidas e braços magrinhos a abanar. Aqui o importante é ganhar força, músculo e agilidade – sem descurar o cardio. As mulheres já não são as mesmas desde que o Cross Fit invadiu o país e agora estão fit, muito fit – foi possível observar isso nos últimos Manz Cross Games em novembro de 2016, onde várias das competições mostraram portuguesas muito aguerridas. Agachamentos, levantamentos de barras, pesos e kettlebells, subida e descida para caixas, exercícios com argolas, barras e elásticos, corrida, remo e uma bicicleta elíptica, vale tudo nesta aula. Quer dizer, não se trata bem de uma aula mas de um ‘movimento’, ao qual se adere ou não.

Todos os dias há um WOD (workout of the day/treino do dia) a cumprir e o objetivo é ir evoluindo, sempre. Vá todos os dias ou duas vezes por semana, no Cross Fit sentirá efeitos rápidos no corpo: tonificação e definição graças ao peso, perda de volume e muita libertação de toxinas – os WODs podem ser bem exigentes e em 10 minutos estar a suar como numa corrida de meia hora. Para começar, nada como experimentar umas aulas e ver o ambiente das Boxes (a box é como se chama ao ginásio onde se faz Cross Fit). Normalmente, uma ou duas aulas são-lhe oferecidas para ver se gosta e é mesmo recomendado que faça mais do que uma porque numa semana não há um único dia de treino igual.

Miguel Miranda, professor na The Bakery Crossfit, responde às mulheres que têm medo de ficar com corpo muito masculino: “Muitas pessoas, em especial mulheres, acham que o Crossfit provoca lesões, faz as pessoas ficarem desproporcionais com músculos gigantes e é muito intenso. Lesões evitam-se trabalhando posturas e técnicas. Tanto podem aparecer a praticar Crossfit como outro desporto. Muitas vezes acontecem também pela falta de prática de qualquer desporto. Músculos grandes conseguem-se na musculação, no Crossfit trabalha-se tudo. É intenso é claro. Se fosse fácil, não tinha piada.”

Para começar, nada como experimentar umas aulas e ver o ambiente das Boxes (a box é como se chama ao ginásio onde se faz Cross Fit). Normalmente, uma ou duas aulas são-lhe oferecidas para ver se gosta e é mesmo recomendado que faça mais do que uma porque numa semana não há um único dia de treino igual.

Na Box use:

Reebok, nas marcas mais conhecidas. De nicho há marcas muito divertidas como esta Nothern Spirit.

Para quem?

Precisa de ganhar massa muscular, muito importante a partir dos 35 anos, e procura uma ‘turma’ de treino motivadora – mesmo que não procure, o mais provável é que venha a ser um dos fatores que a faz voltar a treinar.

2/ Yoga e Pilates

Nenhum é uma novidade, mas ambos estão em crescimento. Yoga porque potencia a ligação corpo e mente e consegue um trabalho de força (sim, é verdade) e elasticidade como poucos. Pilates porque trabalha o core (toda a parede abdominal e de costas) e a postura, corrigindo muitas das mazelas de más posições que continuam a afetar-nos na nossa vida, a trabalhar e a conduzir por exemplo. Como o trabalho é seguido de perto por um professor ou terapeuta, os resultados são bastante ajustados às necessidades individuais. O importante aqui é a consistência: convém de fazer umas duas a três vezes por semana para ter os efeitos necessários.

Para a saudação ao sol (a primeira postura em qualquer aula de yoga) vista:

Um dos maravilhosos padrões da marca Teeki, as calças e tops feitas de garrafas de plástico recicladas, que vestem como uma segunda pele.

Para quem?

Precisa de relaxar, trabalhar postura, tem problemas de costas e pescoço, tem como zona problemática a barriga.

3/ Personal trainer / PT

Mesmo quem já experimentou de tudo e está em forma, pode ficar surpreendido com os resultados conseguidos a trabalhar com um personal trainer. Três aulas por semana e uma alimentação cuidada, durante um mês, transformaram as minhas pernas como nunca julguei possível. ‘Paguei para ver’, e vi realmente resultados com o sistema do The BodyShaper como nunca tinha conseguido ver sozinha. Hugo Proença define o que é ser PT:

“É um profissional com formação específica na área do exercício e da saúde, que tem a capacidade de periodizar de forma exclusiva o treino individualizado e específico para cada aluno, tendo em conta os seus objetivos, limitações e motivações. Saberá pegar na morfologia, metabolismo e aptidões físicas de cada aluno, e da forma mais correta, segura e bem planeada atingir resultados.”

Fazer sessões de PT está bem mais barato, pois muitos dos profissionais saíram das grandes cadeias de ginásios e treinam em sítios mais pequenos ou de bairro, em sua casa ou em parques – sim, em parques! Basta passear nas redes sociais e ver como os parques são o novo estúdio, se não acredita passe pelo Insta de Weza da Silva.

Pode também conseguir preços mais vantajosos se treinar com uma amiga que tenha os mesmos objetivos – uma aula tem o mesmo valor e é a dividir pelas duas. O principal objetivo é a motivação, e mais uma vez Hugo explica: “O treino será sempre diferente e obrigatoriamente terá uma progressão constante. Sentir que está a aumentar os seus níveis de performance é um fator muito importante. Ter alguém que não o deixa desistir, quando provavelmente o faria se estivesse a treinar sozinho. Torna a rentabilidade do treino muito mais produtiva e eficaz. E, claramente, aumenta o desempenho. O objetivo é sempre sair do treino a pensar: “sozinho não teria conseguido” e “ele não me deixou desistir”.

No parque use:

Ténis com sola apropriada ao exterior, casacos com capuz por causa do vento, uma garrafa de água reciclável. No final do treino mude a camisola suada por uma seca para não apanhar frio até chegar a casa e tomar banho.

Para quem?

Tem problemas de motivação. Nada como pagar para fazer, aproveite a pague logo 3 meses, assim não desiste. Se tem um metabolismo lento e vê resultados lentos com outras formas de exercício, pois o PT pode ajustar de treino para treino a intensidade e peso de forma a dar-lhe os melhores resultados.

4/ Programas online Hiit

Para quem odeia ginásios, também não há desculpas. Aqui há um alerta: se nunca fez exercício nem pisou uma passadeira, será difícil fazer um bom trabalho com estes programas e até corre riscos de se lesionar pois não tem a noção corporal necessária para treinar protegida. Mas se quer apenas fazer mais alguns treinos por semana, ou procura soluções rápidas para fazer naquela meia horinha que tem livre entre o banho do filho e o início do jantar, as redes sociais estão aí para a ajudar. Alguns dos treinos de Hiit – sigla em inglês para Treino de Alta Intensidade Intervalado – são muito divertidos e podem ser feitos usando apenas o treino do próprio corpo – outra tendência – ou apenas pequenos adereços. Há muitos exemplos, fique com estes dois:

@12minuteathlete – Krista Stryker começou o movimento e acaba de lançar a APP que lhe entrega diretos no seu telefone os intensos treinos de 12 minutos. Também há challenges e toda uma comunidade com quem os partilhar, como o que fiz em junho, de 100 burpees todos os dias com o objetivo de reduzir o tempo. Integrada numa comunidade e a ver resultados, é difícil não se motivar.

@BodyRockOfficial – Lisa Marie dá-lhe treinos intensos onde coletes com peso e outros adereços são usados para suar o máximo e obter os melhores resultados rapidamente. A App SweatFlix garante um programa de treino para 30 dias. www.bodyrock.tv

Em casa use:

As roupas mais curtas, com cortes reveladores e justas. As que menos coragem tem para usar em público. Todos os mini macacões e calções curtos que compro na Lululemon em saldo não vêem a luz do sol nem os néons do ginásio, mas em casa, com eles vestidos, sou uma Fitness Diva.

Para quem:

Já tem alguma noção de exercício e faz com alguma regularidade, mas precisa de incluir um ou outro treino mais curto para obter resultados mais rápidos. Está a viajar e não consegue ir ao ginásio. Quer fazer um plano de um mês para ‘secar’.

5/ Combate

Com o Muay Thai a poder ser um dos desportos adicionados nos próximos Jogos Olímpicos (assim como o Cheerleading), está cada vez forte esta tendência dos desportos de combate, que saem das zonas obscuras das cidades e entram nos ginásios e em clubes específicos. Kickboxing e boxe estão na linha da frente, com treinos mais puristas ou aulas mais ajustadas a quem não quer combater.


Não leu a reportagem que fizemos sobre o tema?

Saiba por que há mais mulheres nos desportos de combate.


No ringue use:

As marcas dos desportos de combate são específicas. Top King, Danger, Venum, Everlast são algumas e nem sempre não são fáceis de encontrar. Visite Marcial Artsport e conheça um pouco mais deste mundo.

Para quem?

Quer perder peso rápido. Quer ficar mais forte. Quer aumentar a autoestima. Quer aumentar a coordenação. Quer aumentar as capacidades mentais através de estratégia de combate. Tem uma ‘costelinha’ de Million Dollar Baby ou JI Jane.

 

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Shots de Oreo vão fazer furor em 2017