Ovos contaminados chegam a Espanha

As autoridades espanholas anunciaram, este sábado, 12 de agosto, que detetaram, pela primeira vez em Espanha, produtos obtidos a partir dos diferentes componentes do ovo (ovoprodutos) contaminados com o pesticida tóxico fipronil.

A descoberta de um lote de “20 mil unidades de gemas líquidas pasteurizadas” contaminadas com fipronil foi feita na sexta-feira à tarde “numa empresa agroalimentar no País Basco espanhol [norte]”, indicou, em declarações à agência noticiosa francesa France Presse (AFP), um porta-voz do departamento de saúde pública do governo regional do País Basco.

Estes ovoprodutos “não tinham sido ainda utilizados” e vão ser destruídos, precisou o porta-voz.
O representante, que não quis ser identificado, afirmou não saber qual era a origem do lote contaminado. Alguns ‘media’ espanhóis estão a noticiar que o lote em questão teria sido importado de França.

E Portugal está a salvo?

Em Portugal, segundo a Direção-Geral da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural (DGAV), os ovos em causa não estão à venda.
Na sexta-feira, a autoridade que fiscaliza as atividades económicas, a ASAE, garantiu à Lusa que está atenta e pronta a intervir no terreno caso sejam detetados em Portugal ovos contaminados com fipronil.

Consequências para a saúde

Em grandes quantidades, o fipronil, usado para eliminar ácaros e insetos, é considerado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como “moderadamente tóxico” para o homem. O uso deste pesticida é expressamente proibido em animais destinados ao consumo humano.

No entanto, é possível que a ingestão a longo prazo daquela substância, e em grandes quantidades, possa trazer consequências para o fígado, a tiróide e os rins.

Há 16 países atingidos pelo escândalo dos ovos contaminados

Com este novo caso espanhol, eleva-se para 16 o número de países da União Europeia (UE) afetados por esta crise dos ovos contaminados com fipronil, que também abrange a Suíça e o território de Hong Kong.

A Comissão Europeia já informou que vai reunir-se com representantes dos países afetados por esta crise a 26 de setembro.

Recorde-se que a “crise” dos ovos contaminados iniciou-se a 20 de julho, quando a Bélgica alertou as autoridades comunitárias de que tinha detetado ovos contaminados.
Oito dias depois, a Holanda lançou um alerta alimentar por suspeita de contaminação, mas foi só a 3 de agosto é que as autoridades holandesas advertiram de que, em alguns lotes de ovos, a quantidade do pesticida era superior aos limites e poderia representar um perigo para a saúde dos consumidores.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Mulheres ganham 200 vezes menos que homens, revela…