Subir

Paula Rego no centro de um retrato em forma de documentário

Paula Rego fotografada em Cascais, Casa das Histórias (Carlos Manuel Martins/Global Imagens)

Se Paula Rego pinta e leva para os seus quadros o que vê, vive e lhe vai na alma, agora é a vez de tudo isso ser transposto para uma outra tela, neste caso do cinema, de a artista dar lugar à musa e deixar que sejam outros a fazer o seu retrato.

É o que acontece no filme “Paula Rego, Histórias & Segredos”, que estreia, esta quinta-feira, 6 de abril, em Portugal.

Realizado pelo seu filho, Nick Willing, o documentário revela vários pormenores da vida da artista, dos episódios recorrentes de depressão, passando pela relação complexa com o marido, o também artista Victor Willing (falecido em 1988), pelos casos extraconjugais de ambos, a sexualidade, os abortos que fez, à família e aos problemas financeiros.

Durante uma grave depressão por que passou, em 2007, Paula Rego pintou uma série de quadros, até há bem pouco tempo inéditos e que chegaram ao conhecimento de Nick Willing quase na mesma altura do documentário.

Em entrevista ao ‘The Guardian’, o realizador explica também que só há dois anos, pouco tempo depois de Paula Rego completar o seu 80º. aniversário, é que soube da existência desses quadros, assim como de outros detalhes mais íntimos da vida da pintora. “A minha mãe começou a contar-me histórias que nunca tinha ouvido. Então perguntei-lhe se podia fazer um filme sobre ela. Há uns anos ela ter-me-ia mandado bugiar, mas, para meu espanto, concordou”, afirma.

Essa depressão, que, segundo revelou o filho da pintora, na mesma entrevista, “quase a matou” levou à criação de 12 pinturas, em pastel, que retratam uma mulher isolada e paralisada e que estiveram patentes até 1 de abril, na galeria da artista em Londres, a Marlborough Fine Art.

“Ela passou a depressão para eles e tinha medo que esta saísse dali outra vez”, diz Nick Willing.

A 8 de abril, o documentário será exibido na Casa das Histórias, em simultâneo com “mais uma dúzia de cidades e cinemas” do país.

Mais do que uma estreia
A exibição de “Paula Rego, Histórias & Segredos” é acompanhada por uma série de atividades.

Entre estas está uma nova exposição na Casa das Histórias, em Cascais, também designada “Paula Rego. Histórias e Segredos”, com curadoria de Nick Willing e Catarina Alfaro.

Esta mostra, que pode ser vista de 7 de abril a 17 de setembro, vai contar com 80 obras da artista e do seu marido Victor Willing, provenientes de museus nacionais e internacionais, algumas inéditas em Portugal.

A exposição irá ocupar todo o espaço do museu Casa das Histórias e terá um cariz biográfico, mostrando, além da pintura, relatórios que Paula Rego escreveu quando era bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian, em Londres, elementos do seu ateliê naquela cidade, onde continua a pintar, e objetos pessoais.

Os filmes de Paula Rego
No âmbito destas iniciativas, decorre ainda, durante o mês de abril, um ciclo na Cinemateca Portuguesa, com filmes escolhidos pela própria artista.

São dez obras cinematográficas que marcaram Paula Rego e a sua obra, e onde se incluem: ‘Quando os Sinos Dobram’, de Michael Powell e Emeric Pressburger, ‘Branca de Neve e os Sete Anões’, de Walt Disney, ‘Los Olvidados’, de Luís Buñuel, ‘Julieta dos Espíritos’, de Federico Fellini, ‘Barry Lyndon’, de Stanley Kubrik, ‘Ondas de Paixão’, de Lars von Trier, ‘Tudo Sobre a Minha Mãe’, de Pedro Almodóvar, ou ‘Aldeia Da Roupa Branca’, de Chianca de Garcia. Para ver até dia 28 deste mês.

 

Imagem de destaque: Manuel Martins/Global Imagens

Ana Tomás com Lusa