Subir

Quando Paula Rego e a Bordallo Pinheiro se juntam chamamos-lhe um ‘Figo’

‘Figo’, a obra que Paula Rego criou exclusivamente para a Bordallo Pinheiro, vai começar, a partir desta semana, a chegar às montras de todas as lojas da Vista Alegre do país.

A peça, a primeira em cerâmica feita pela artista, foi apresentada a 7 de abril, na Casa das Histórias, em Cascais, coincidindo com a inauguração da sua nova exposição, naquele espaço.

Desde então, pode ser vista nas lojas de Viseu, dos centros comerciais Colombo e Chiado (Lisboa) e do NorteShopping (Matosinhos), estando prevista a sua exposição gradual nos restantes espaços da cadeia. ‘Figo’ só pode ser adquirida por subscrição – em qualquer loja da Bordallo Pinheiro ou Vista Alegre ou do Clube de Colecionadores da Vista Alegre – e custa €3.500.

A peça é inspirada numa escultura têxtil da pintora, da década de 1960, altura, em que, segundo a própria, costumava fazer tapeçarias e almofadas bordadas. “De repente tive uma ideia de fazer um figo gigante”, contou, acrescentando que a peça terá sido feita em 1967, “logo depois de ter feito a Tapeçaria Alcácer-Quibir”, afirma a pintora, num comunicado enviado à imprensa.

Agora ganhou forma em objeto de cerâmica com as características típicas das faianças da conhecida marca de cerâmica das Caldas da Rainha.
O resultado mostra as texturas típicas dos areados e musgados, presentes nas peças com a estética criada por Rafael Bordalo Pinheiro, e o vidrado verde, igualmente representativo da temática naturalista do artista e da cerâmica de Caldas da Rainha, “são alguns dos apontamentos bordallianos presentes nesta escultura marcada pela intensidade pictórica da obra de Paula Rego”,descreve a marca.

A colaboração com a pintora inaugura a coleção WWB – World Wide Bordallianos, que promete juntar artistas de renome internacional à Bordallo Pinheiro.

“É um encontro entre um artista conceituado internacional e o Raphael Bordallo Pinheiro. Daí sai uma obra que é uma união desses dois artistas”, explica Elsa Rebelo, ceramista e diretora artística da Fábrica de Faianças Artísticas Bordalo Pinheiro, responsável pela produção das peças.

Cada obra acaba por refletir a estética ‘bordaliana” e também o traço que caracteriza os artistas por ele inspirados, nesta parceria lançada pela empresa. Mas esta parceria com nomes relevantes do panorama artístico mundial não é inédita.

“Começámos pelos bordallianos portugueses, com a Joana Vasconcelos, o Pedro Cabrita Reis [ quando dos 125 anos da fábrica]. Depois foram os 20 bordallianos brasileiros e agora são os WWB, internacionais”, resume Elsa Rebelo.

A coleção WWB é lançada em edições numeradas e limitadas a 125 exemplares por edição. Serão lançadas uma a duas peças por ano, produzidas por artistas ligados às artes plásticas, ao design e à moda. Entre os artistas que se seguirão a Paula Rego, sabe-se, para já, que estarão criadores portugueses, brasileiros, franceses e espanhóis.

AT