Sabe se vive numa casa saudável?

Dorme mal, sente-se cansado e está constantemente doente? É possível que a sua casa possa ser a causa de todo esse mal-estar. Marcelina Guimarães, arquiteta, e Miguel Fernandes, geógrafo explicam: “Os níveis de exposição ao ruído, os elevados campos eletromagnéticos, a deficiente qualidade do ar, a inadequada iluminação, a falta de conforto térmico, os elevados índices de humidade relativa, a ausência de espaços verdes, bem como problemas de ordem estrutural, como por exemplo, instalações elétricas mal concebidas ou quartos com paredes contíguas às cozinhas, podem conduzir a quadros de doença”.

Curiosamente os sintomas decorrentes de uma habitação pouco saudável atingem sobretudo as mulheres e crianças que são mais sensíveis a determinados fatores de risco ambiental. “Alergias, insónias, irritabilidade, cansaço, problemas respiratórios, são algumas das queixas mais comuns”, revela Marcelina. “Os homens até podem estar expostos aos mesmos fatores e serem totalmente assintomáticos”. O que não é obrigatoriamente vantajoso: “Esta falta de sintomas faz com que não sejam tomadas medidas preventivas e a doença surge sem dar aviso prévio”, avança a especialista.

Porque tanto Marcelina como Miguel acreditam que casas saudáveis nutrem os seus habitantes em todos os aspetos e que casas doentes podem induzir e acelerar processos de degeneração e distúrbios criaram a Habitat Saudável, sediada no Porto, a única a oferecer este tipo de consultoria na área ambiental em Portugal. A base de atuação da empresa baseia-se nos princípios da Geobiologia, uma ciência cujo objetivo é contribuir para a criação de bons sítios para se viver e trabalhar.

Parece-lhe esotérico? Nem por isso. Na Alemanha é prática comum e na Suécia as pessoas que são comprovadamente electrossensíveis recebem apoios do Estado para a adaptação e isolamento das suas habitações.

Cuidados personalizados

Os serviços da Habitação Saudável têm início com uma visita que se destina à análise da área envolvente, à medição da direção do imóvel em relação ao norte magnético, entre outros fatores. Nesse estudo do espaço procede-se, também, à análise a possíveis elementos de contaminação geoambiental – campos e radiações naturais provenientes das correntes de água subterrâneas, falhas geológicas, redes geomagnéticas e outras alterações; níveis de radioatividade ambiental e gás rádon. A partir dos resultados obtidos é realizado um relatório com imagens, desenhos, tabelas e cálculos bastante completo, e indicações precisas de como transformar uma casa “doente” numa casa saudável, em que os isolamentos com materiais naturais como cortiça são essenciais.

Quando se projeta de raíz, aplica-se a Arquitetura integrativa (construção de raiz ou reabilitação) e toda esta informação é utilizada desde o estudo prévio do projeto até à construção da obra que dará origem a um edifício saudável.

Problemas comuns

Aparelhos no quarto, o telemóvel a carregar perto da cabeceira da cama e a servir de despertador, telefones sem fios com bases elétricas, caixas de gravação de televisão, rádios despertadores ou routers emitem imensas radiações. Por outro lado, os materiais utilizados na construção são, também, relevantes – quanto mais naturais melhor.

As soluções não são assim tão complexas: por vezes basta mudar a cama de lugar, mesmo que não seja a opção estética mais apelativa. A aplicação de materiais isolantes como tintas e telas é outra das sugestões da Habitat Saudável, além de equipamentos que minimizam os efeitos da corrente elétrica quando esta não é utilizada, como por exemplo o bio-switch que ao identificar durante a noite por exemplo, que algumas das fases não utilizam energia elétrica reduzem os clássicos 220 W para 6. Outra sugestão consiste ainda em utilizar plantas que regulam a temperatura e humidade e podem sintetizar químicos voláteis presentes no ar.

Geobiologia e o Feng Shui

A Geobiologia e o Feng Shui (corrente milenar chinesa que visa a harmonização do ambiente através dos elementos da natureza) partem ambos da ideia que os locais em que vivemos e/ou trabalhamos interferem na vida das pessoas, positivamente ou negativamente. Contudo o Feng Shui por se tratar de uma arte milenar não está muito direcionado, por si só, para a resolução de problemas atuais como a poluição eletromagnética, química, o excesso de ruído, bem como o facto de hoje em dia passarmos 90% do nosso tempo em ambientes fechados.

Já a Geobiologia é uma ciência que trata e resolve tais problemas que decorrem da modernidade. Olha para todos os saberes e conhecimentos ancestrais, trazendo-lhes uma visão científica. Ou seja: existe uma complementaridade entre ambos. E é com base nessas duas premissas que Marcelina e Miguel procuram tornar a existência dos seus clientes mais longa, saudável e feliz.

Dicas: Faça você mesmo

Para uma casa mais saudável e um sono descansado há pequenas coisas que pode fazer sozinha. Não esqueça de ver a nossa galeria.

 

 

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Os 12 erros mais comuns ao fazer bolos