Serena Williams: “Ninguém pode dizer-vos o quão bonitas são, exceto vocês”

Serena Williams é a número um mundial de ténis

Serena Williams, a incontestável número um mundial de ténis, pode até ser a atleta mais bem paga do mundo, estrela de revistas como a ‘Vogue’ ou a ‘Sports Illustrated’ e dar nome a uma bem-sucedida coleção de malas e joalharia, mas os comentários à sua imagem – ao corpo invulgarmente musculado e definido – nunca deixaram de a atormentar. Agora, numa entrevista exclusiva à ‘Elle’, a tenista de 34 anos faz questão de arrasar os haters e de ajudar mulheres vítimas desse tipo de críticas a ultrapassá-las.

“Ninguém pode dizer-vos quem são, exceto vocês. Ninguém pode dizer-vos o quão bonitas são, exceto vocês. Ninguém pode julgar-vos, têm de julgar-vos a vocês mesmas, porque no final do dia, é só com vocês próprias que podem contar. Têm que olhar para vocês, amar-se e não ligar ao que os outros dizem. Se alguém diz algo negativo, não faz mal. Não têm de gostar. Não têm de gostar de tudo em vocês, há outras pessoas que gostam. Eu, na maior parte, gosto de mim”, reconhece.

Serena Williams no calendário Pirelli
Serena Williams no calendário Pirelli

Foi essa confiança que a levou a pousar quase nua, em novembro do ano passado, para o famoso calendário Pirelli. Ou para a capa da ‘Sports Illustrated’ que, em 2015, a elegeu como atleta do ano. “Sou confiante em relação ao meu corpo. Não interessa quem és, qual o teu tamanho, a tua altura, a tua cor. Tudo se resume a confiança. Espero que as pessoas percebam essa mensagem”, frisa a tenista norte-americana, que aceitou o convite de Beyoncé para dançar e fazer twerking no videoclipe ‘Sorry’.

Ainda assim, Serena não pode dizer que é “a pessoa mais confiante do mundo”. “Estaria a mentir. Mas posso dizer-vos que trabalho nisso todos os dias”. E trabalhar nisso significa posicionar-se em frente do espelho, olhar-se nos olhos e dizer, convictamente e em voz alta, coisas positivas sobre si mesma. “Parece parvo, mas ajuda mesmo”, garante.

Nesta mesma entrevista, a atleta norte-americana revela que uma das suas principais inseguranças sempre foi o tamanho do peito. Especialmente porque praticava ténis, um desporto em que a maior parte das mulheres são esguias e não exibem grandes músculos. “Quando comecei, era a única [com tal imagem]. E pensava ‘Sou mesmo uma atleta? Estou a exercitar-me bastante, mas não me pareço com a típica atleta”.

Williams recorda ainda a primeira vez que comprou um soutien de desporto. “Tinha 13 anos. Apertava-se no centro e lembro-me de se partir e de eu pensar ‘Isto é terrível'”. Entretanto, descobriu a marca australiana Berlei, a única com modelos adequados ao seu tipo de corpo, e há mais de 10 anos que não usa outros – até no seu dia-a-dia. “Sempre. Porque às vezes sou preguiçosa”, confessa.

Serena, que este ano destronou a também tenista Maria Sharapova como a atleta mais bem paga do mundo – segundo a revista ‘Forbes’, amealhou 25,6 milhões de euros nos últimos 12 meses -, começa esta segunda-feira a lutar pelo seu sétimo título do US Open, grand slam que se realiza em Nova Iorque, EUA, onde é a grande favorita.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Natalie Portman não quer que o filho veja os seus…