O último discurso oficial de Obama no 11 de setembro

The remaining tower of New York's World Trade Center, Tower 2, dissolves in a cloud of dust and debris about a half hour after the first twin tower collapsed September 11, 2001. Each of the towers were hit by hijacked airliners in one of numerous acts of terrorism directed at the United States September 11, 2001. The pictures were made from across the Hudson River in Jersey City, New Jersey.  REUTERS/Ray Stubblebine - RTXKQWF

Hoje assinalam-se 15 anos sob o dia que mudou para sempre o mundo. No dia 11 de setembro de 2001 dois aviões embateram contra as Torres Gémeas no World Trade Center, em Nova Iorque, e um atacou a maior fortaleza dos EUA, o Pentágono.

O ataque foi depois reivindicado pela Al Qaeda e mudou para sempre o conceito de segurança e liberdade, sobretudo no ocidente. As regras nos aeroportos mudaram e um pouco em todo o lado a insegurança instalou-se. O ataque permitiu a entrada dos Estados Unidos no Iraque e desde então que a palavra terrorismo se tornou familiar.

Na sua mensagem à nação, Barack Obama garantiu que os EUA se irão manter “implacáveis contra terroristas como os da Al Qaeda e do ISIS”, garantindo ainda que continuará a fazer tudo o que estiver ao seu alcance para proteger o território americano. O presidente Obama lembrou ainda as quase 3 mil vítimas dia trágico.

“Era um dia que tinha começado como qualquer outro e tornou-se um dos mais sombrios da nossa História. As Torres Gémeas foram reduzidas a escombros, o Pentágono estava em chamas, um campo na Pensilvânia ficou incendiado por causa da queda de um avião e quase três mil vidas inocentes foram perdidas. Filhos e filhas, maridos e mulheres, vizinhos, colegas e amigos – eram de todos os setores da sociedade, raças e religiões, cores e credos, de toda a América e do mundo”

Apesar da mágoa pelo que aconteceu e de um discurso que reforça a tolerância zero para com o terrorismo, o presidente dos Estados Unidos relembra que o racismo e a descriminação não são a solução.

“Perante o terrorismo é importante o modo como respondemos. Não podemos ceder aos que nos dividem. Não podemos apagar a essência da nossa sociedade que é a nossa diversidade; o darmos as boas-vindas a talentos; o modo como tratamos com justiça toda a gente, não importando raça, género, etnia ou credo. Isso é parte do que torna este num grande país. É o que nos faz resilientes e, se permanecermos fiéis aos nossos valores, honraremos quem perdemos e vamos manter a nossa nação forte e livre”, destacou no mesmo discurso.

A História terá para sempre assinalado o dia 11 de setembro como um dia trágico que mudou o mundo.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Morreu Greta Friedman, a enfermeira da fotografia …