‘Uma Autobiografia’ de Rita Lee: Um olhar íntimo sobre a vida de excessos e aventuras

Com prefácio de Rui Reininho, “Uma Autobiografia” de Rita Lee é abrangente, polémica e verdadeira. É um livro que, sem qualquer pudor, a cantora brasileira revela tudo sobre os backstages da sua vida.

É uma obra que põe o dedo na ferida, por diversas vezes, e conta tudo sem receio das reações. São histórias apresentadas de forma cronológica que vão esboçando não só o retrato de uma vida como a vida do próprio Brasil.

“Aqui se revela o apelo irresistível de entrar na dança de Rita Lee Jones, num jogo imparável de palavras e obras que nos chega de meados do século passado. A artista, envolvendo-nos numa delicodoce e ácida teia que envolve romance, novela, mistério, ciúme e aventura, mas sobretudo amor e rock&roll, proporciona-nos uma inesperada crónica dos bons, maus e outros costumes da sociedade dos Estados Unidos do Brasil”, garante o vocalista dos GNR no prefácio.

Capa da nova autobiografia de Rita Lee [Fotografia: DR]

 

A infância e os primeiros passos na vida artística, a prisão em 1976, o encontro de almas com Roberto de Carvalho, o nascimento dos filhos, das músicas e dos discos clássicos, os tropeços e as glórias… Está tudo aqui, num testemunho sincero!

“Miss Rita empoleirada então em palcos de onde cai, escorrega e patina como verdadeira campeã, vai brilhando com seu olhinho esperto nunca perdendo noção de si. Modesta demais quanto ao seu talento, importância e influência. Essa noção da sua limitação humana dá-lhe uma dimensão ainda mais fantástica”, comenta o fã Reininho.

“Rita Lee, que tanto cantou, e ainda nos encanta, com as suas memórias ora hilariantes ora assustadoras numa linguagem neológica em que inventa, por vezes com a colaboração de um fantasminha indesmentível, uma das assombrações que preencheram a sua louca vida: lúcida, luxuriante, latina, léxica… linda.”

Publicado no final de junho, pela Contrapondo, e lançado na quinta-feira, 6 de julho, no Porto , o livro de Lee é um íntimo olhar sobre a vida de excessos e de grandes aventuras de uma das maiores estrelas do rock brasileiro, com mais de 55 milhões de discos vendidos. Percorra a galeria acima para recordar alguns momentos da vida de Rita Lee

Da composição de músicas à defesa dos animais

Rita Lee Jones, capricorniana, é cantora, compositora, instrumentista, atriz, escritora e ativista pelos direitos dos animais. Rainha do rock brasileiro, alcançou a impressionante marca de 55 milhões de discos vendidos, tendo iniciado a sua carreira nos anos 1960, em São Paulo, onde nasceu.

Atuou diversas vezes em Portugal: a primeira, em 1969, quando tocou no Teatro Villaret e terminou a noite a dançar na discoteca Ad Lib, em Lisboa; a última, em 2008, num espetáculo esgotado, no Coliseu dos Recreios.

Em Portugal, os discos de Rita Lee têm sido editados desde os anos 70, entre os quais se destacam Refestança (1977), Mania de Você (1979), Lança Perfume (1980), Saúde (1981),Flagra (1982), Bombom (1983), Vírus do Amor (1985), Flerte Fatal (1987), Bossa’n’Roll (1991), Balacobaco (2003), entre outros.

Imagem de destaque: Facebook/Rita Lee

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

SUBSCREVER

Subscreva a newsletter e receba semanalmente todas as noticias de forma confortável

packshot_site

APP DELAS

Aceda por telemóvel, smartphone ou tablet as notícias, informações, num ambiente atrativo e intuitivo, compatível com o seu equipamento.

Appstore Googleplay

Estrela de ‘A Guerra dos Tronos’ sofre…