Subir

A islandesa que foi a primeira presidente na Europa

Vigdis Finnbogadottir foi a primeira mulher presidente da Islândia e na Europa, meses depois de a britânica Margaret Thatcher se ter tornado a primeira primeira-ministra. Presidente entre 1980 e 1996, foi também a primeira mulher a ser eleita democraticamente chefe de Estado a nível mundial.

Nascida em Reiquejavique em 1930, filha de um engenheiro civil e de uma enfermeira, estudou Literatura Francesa na Sorbonne e Teatro na Universidade de Copenhaga. De regresso à Islândia, licenciou-se ainda em Inglês e Francês e tirou um curso de Educação. Graças a esta formação tão diversificada, trabalhou numa companhia teatral, foi professora e teve programas educativos na televisão. Chegou também a ser guia turística.


Conheça também a incrível história da Capitão Egípcia que foi deputada


Casou com um médico mas poucos anos depois divorciou-se. Aos 41 anos, adotou uma menina, tornando-se a primeira mulher sozinha a adotar na Islândia.

Pacifista, Vigdis participou em muitas marchas contra a pertença da Islândia à NATO. Já como presidente, foi anfitriã de uma cimeira em 1986 entre o presidente americano Ronald Reagan e o líder soviético Mikhail Gorbachev, decisiva para o fim da Guerra Fria.

A primeira vitória eleitoral de Vigdis foi por margem mínima, mas das três reeleições, uma foi conseguida com 94% dos votos e as outras duas sem opositor, prova da sua imensa popularidade. Sempre defendeu a causa das mulheres.

Hoje, com 86 anos, é embaixadora da boa vontade da UNESCO.

Leonídio Paulo Ferreira