Subir

A primeira criança negra a estudar numa escola de brancos vem a Portugal

Ruby Bridges foi a primeira criança negra a estudar numa escola de brancos no estado americano do Louisiana. Estávamos em 1960. Sentiu na pele a discriminação e a violência racial, mas também o impacto que uma lei pode ter no futuro de um ser humano. Estará em Lisboa no sábado para falar da sua experiência.

Os primeiros dias de escola de Ruby foram marcantes. Na fotografia a preto e branco vê-se uma pasta carregada por uma menina pequena e magrinha, num vestido de balão com um casaquinho branco. Enquanto a menina sobe os oito degraus da Primary School, de um lado e do outro, polícias ajudam-na a entrar em segurança.

Ruby tem 6 anos, a mobilidade normal de uma criança, mas teme-se que não consiga chegar à escola sã e salva. Ela é a primeira criança negra a frequentar uma escola pública, até então, só para brancos, a William Frantz Elementary School.

É difícil aferir o impacto que uma missão como esta possa ter na vida de uma criança. Em 1960, no Louisiana, sul dos EUA, iniciava-se o processo de «dessegregação». A luta pelos direitos civis dos negros americanos está no auge: em 1955, Rosa Parks tinha sido presa por se recusar a dar lugar a uma branca num autocarro; Martin Luther King fazia discursos inflamados pelos direitos civis dos negros; Malcom X atravessava a sua fase mais radical, acusado pelos detratores de ser suprematista negro.


Leia a história completa de Ruby Bridges em Notícias Magazine


Ruby Bridges vem a Portugal para participar no encontro Em Que Pé Está a Igualdade?, promovido pela Fundação Francisco Manuel dos Santos, no dia 30 de setembro. A conferência está esgotada mas as palestras podem ser vistas no site da fundação.