Abusos sexuais na Igreja. “Haver 400 casos não me parece particularmente elevado”, diz Marcelo

MArcelo

Marcelo Rebelo de Sousa pronunciou-se esta tarde de terça-feira, 11 de outubro, sobre os dados revelados pela Comissão Independente que está a recolher os testemunhos de abuso sexual na Igreja Católica. Para o Presidente da República, as 424 queixas reunidas por esta entidade coordenada pelo pedopsiquiatra Pedro Strecht não o deixam “surpreendido”.

“Haver 400 casos [de denúncias de abuso sexual na Igreja] não me parece particularmente elevado porque noutros países com horizontes [de tempo de investigação] mais pequenos houve milhares de casos”, afirmou o chefe de Estado. Marcelo Rebelo de Sousa referiu ainda, esta tarde de terça-feira, 11 de outubro, que se está perante um “universo de milhões” de pessoas que têm estado em contacto com a igreja ao longo de décadas.

“Todas as instituições que tenham comportamentos que se venham a provar criminosos estão obrigadas a fazer uma revisão de vida”, referiu o Presidente, que considera que “Nunca se fica manchado quando se pretende apurar a verdade”. “É bom haver transparência na democracia. Negativo é haver opacidade a todos os níveis”, concluiu.