Subir

Adele “envergonhada” depois de ter cartão de crédito rejeitado

Adele deu um concerto em San Jose, Califórnia, no domingo

Esta é a prova de que nem as maiores estrelas pop mundiais estão imunes a alguns problemas bancários. Adele, que no domingo deu um concerto na Califórnia, EUA, aproveitou as horas que o antecederam para fazer algumas compras. Qual não foi o seu espanto quando, numa loja da H&M, o seu cartão de crédito foi rejeitado.

“Foi uma vergonha. Ninguém sabia que era eu, mas fiquei muito envergonhada”, confessou, ao jornal britânico ‘The Mirror’. O pior é que as suas peripécias nesta tarde não ficaram por aqui. “O meu cão [Louie] tentou arranhar outro cão…”, contou, antes de concluir, ironicamente: “A minha ida à H&M foi fantástica… mas ninguém soube que era eu, por isso acho que me vou safar”, brincou a intérprete de ‘Hello’.

Apesar do percalço, não há dúvida de que Adele ainda consegue pagar por algumas peças na loja de roupa sueca, até porque ainda este ano conquistou o nono lugar da lista das 100 celebridades mais bem pagas do mundo, elaborada pela revista ‘Forbes’ – com lucros na ordem dos 72,6 milhões de euros.

Não significa isto que a cantora de 28 anos só procure roupa de marca. Aliás, já várias vezes foi fotografada na loja norte-americana low cost Target e até na Primark, onde foi vista a comprar cuecas por pouco mais de um euro. “Eu costumava ir à Primark comprar cuecas a toda a hora. Adorava apanhar pechinchas”, admitiu, há alguns meses, aquela que é a cantora britânica mais rica de sempre.

Carolina Morais / Fotografia: Reuters