Arundhati Roy, Lídia Jorge e Rosa Montero em destaque no Festival Internacional de Cascais

As mulheres marcam a edição deste ano do Festival Internacional de Cascais (FIC), a decorrer de 1 a 30 de setembro, em Cascais.

Arundhati Roy, anunciada esta semana entre os finalistas para a shortlist do Man Booker Prize, é a escritora convidada para a conferência de abertura do evento, dedicada ao tema ‘Felicidade, fronteiras’, no dia 2 de setembro, às 19h. A autora do best-sellerO Deus das Pequenas Coisas’ regressou este ano ao romance, com o livro ‘O Ministério da Felicidade Suprema’ (editado em Portugal pela ASA).

O festival vai também juntar grandes nomes femininos da literatura ocidental em diferentes sessões de debate distribuídas pelo programa.

Um desses encontros acontece no dia 15, às 21h30, entre Lídia Jorge e a escritora e jornalista espanhola Rosa Montero, premiada autora de livros como ‘A Louca da Casa’ (2003) ou ‘História do Rei Transparente’ (2005). ‘Destino, liberdade’ é o mote da conversa que será conduzida pelo jornalista e escritor João Céu e Silva.

No dia 22, às 19h, o debate será entre a jovem romancista Selva Almada, apontada como um dos novos valores literários da Argentina e cujo livro ‘Raparigas Mortas’ será editado brevemente, em Portugal, pela D. Quixote, e a escritora de policiais inglesa Sophie Hannah, que deu continuidade à série Hercule Poirot, de Agatha Christie (‘Os Crimes do Monograma’, ASA, 2014). As duas autoras vão discutir o tema ‘Verdade, violência’, numa conversa moderada pelo jornalista Rui Lagartinho.

A também escritora Inês Pedrosa é a curadora do programa de encontros e debates do FIC, que não se esgota na literatura. Música, teatro, cinema, exposições, animação infantil, noites de poesia, artes de rua, eventos de gastronomia e uma Festa do Livro são outras das iniciativas previstas.

O evento resulta de uma parceria entre o grupo editorial Leya, a Câmara Municipal de Cascais e da Fundação Dom Luís I e a maioria das atividades é de entrada gratuita.