Subir

Ben Kingsley: “através do olhar feminino, um homem quase tem a permissão de ser vulnerável”

Cinema

O ator falou, em entrevista recente ao ‘The Observer’, sobre as vantagens de trabalhar em filmes realizados e produzidos por mulheres. Ben Kingsley que, no seu mais recente filme, ‘Learning to Drive’, é dirigido pela realizadora espanhola Isabel Coixet (‘Ninguém Quer a Noite’, ‘A Vida Secreta das Palavras’), lamentou, ao longo da sua carreira, só ter trabalhado com “possivelmente quatro realizadoras”. “Se olharem para o meu currículo, fiz muitos filmes, por isso é um desequilíbrio terrível”.

Kingsley, 72 anos, vencedor de um Óscar pelo filme ‘Gandhi’, explicou que, ao trabalhar com mulheres realizadoras e produtoras, sentia que podia expor-se de outra forma. “Sinto que, através do prisma, da lente, da perspetiva do olhar feminino – o carinhoso olhar feminino – um homem quase tem a permissão de ser vulnerável”.

“As mulheres com quem trabalhei tem a capacidade extraordinária de por [a vulnerabilidade masculina] no ecrã. Só existe um – possivelmente dois – realizadores que conseguem alcançar isto e perceber o seu valor, o seu peso, como característica de uma personagem, como algo que tem, e que deve ter, o seu lugar na nossa humanidade”, explicou o ator, protagonista de ‘Learning to Drive’, realizado por Isabel Coixet, produzido por Dana Friedman e escrito por Sarah Kernochan.

Raquel Costa