Benfica ganha Taça de Portugal e faz o pleno no futebol feminino

Benfica Taça
[Fotografia: DR/SLB]

O Benfica venceu este domingo, 19 de maio, a 20.ª edição da Taça de Portugal feminina em futebol ao vencer o Racing Power, por 4-1, levando este troféu pela segunda vez para o museu Cosme Damião depois de o ter conquistado em 2018/19.

Marie Alidou inaugurou o marcador, aos 25 minutos, e Gerda Konst, aos 41, levou a igualdade para o intervalo. Na segunda parte, Carole Costa, de grande penalidade, colocou novamente o Benfica ao vencer, aos 60, e Lúcia Alves, aos 69, fez o 3-1, e Kika Nazareth, aos 90+5, selou o 4-1.

Com a conquista da Taça de Portugal, o Benfica arrebatou esta temporada todos os troféus em Portugal depois do ‘tetra’ no campeonato nacional e de ter conquistado a Supertaça (1-1, 3-0 após grandes penalidades) e a Taça da Liga (1-0) ao Sporting.

A somar o 47.º jogo da temporada o Benfica entrou com pouco discernimento e profundidade, situação que permitiu ao Racing Power tomar conta da posse de bola e logo aos 05 minutos viu Jennifer Vetter, depois de uma ‘fífia’ de Ucheibe, ter a oportunidade de inaugurar o marcador, contudo a guarda-redes Lena Pauels conseguiu emendar o erro da companheira e defendeu para canto.

Foi necessário esperar 23 minutos para ver o primeiro ‘desenho’ de perigo das ‘encarnadas’, quando Andreia Norton, à entrada da área, testou os reflexos de Mikaely Bihina, guarda-redes que, aos 25, nada consegui fazer perante o remate de Marie Alidou, após assistência de Andreia Faria, que tinha sido lançada no contra-ataque por Kika Nazareth.

Embora o Benfica procurasse dilatar o marcador a verdade é que a nível prático conseguia chegar a zonas de finalização.

As comandadas de João Marques, com menos 12 jogos nas pernas que as ‘encarnadas’, tinham, claramente, mais discernimento e se aos 13 minutos Gerda Konst levou a bola a raspar no lado de fora do poste da baliza de Lena Pauels, aos 41, igualou o encontro, de cabeça, na sequência de um pontapé de canto cobrado por Beatriz Rodrigues.

O Benfica viria a adiantar-se no marcador quando Carole Costa, aos 60 minutos, converteu a grande penalidade a castigar falta de Bárbara Azevedo sobre Marie Alidou, assinalada pela árbitra lisboeta Catarina Campos após a intervenção do VAR liderado pelo portuense Vasco Santos.

O Benfica viria a ‘matar o jogo’ por intermédio de Lúcia Alves, aos 69 minutos, que dedicou o golo à avó falecida recentemente, numa jogada iniciada por Kika Nazareth, que recuperou a bola no meio-campo e serviu a lateral direito para o 3-1.

A vencer por dois golos, o Benfica ‘limitou-se’ a gerir o resultado perante um Racing Power completamente dominado e sem poder de reação, acabando por chegar aos 4-1, por intermédio de Kika Nazareth, aos 90+5 minutos, numa jogada de contra-ataque puro iniciada por Lara Martins, que obrigou a estrela do Benfica correr isolada vários metros até bater Mikaely Bihina e a estrear-se esta temporada na Taça de Portugal.