Bolsa de Nova Iorque vai ser presidida por uma mulher

É a primeira vez que acontece em mais de dois séculos (226 anos) de história: a maior bolsa de mercados do mundo terá como presidente uma mulher. Stacey Cunningham, que era até agora diretora de operações, sucederá, a partir de sexta-feira, Tom Farley à frente dos destinos da Bolsa de Nova Iorque, com sede em Wall Street.

Stacey Cunningham [Fotografia: Bolsa de Nova Iorque]
A informação foi avançada pelo Wall Street Journal citando fontes próximas do processo, mas a informação terá sido confirmada por aquela entidade, segundo avançam os jornais norte-americanos.

“Adoro o local de trabalho”, terá afirmado a nova responsável àquele jornal económico. Ainda citada pela agência noticiosa Associated Press, Cunningham terá dito que estava “entusiasmada por ir dirigir” a entidade.

Quem é Stacey Cunningham?

Nascida em 1975, esta engenheira industrial formada na Universidade de Lehigh, na Pensilvânia, tinha já tomado contacto com este universo em 1994, quando entrou como operadora. Entre 1996 e 2005 trabalhou como especialista no Bank of America e, posteriormente, ingressou no índice de tecnologia Nasdaq.

Segundo o seu perfil de rede profissional LinkedIn, a engenheira regressou à Bolsa de Nova Iorque em 2012, tendo-se tornado, há cerca de três anos, chefe de operações, trabalhando sobretudo o mercado de hipotecas, gestão, serviços e produtos de empresas.

Apesar de a instituição já ter contado, por algum tempo, com uma mulher ao leme, Catherine Kinney, certo é que esta não esteve sozinha. Agora, Cunningham assume os destinos da maior bolsa a título absoluto, sendo a 67ª presidente.

Imagem de destaque: Brendan McDermid/Reuters

O lugar do corpo das mulheres e o Dia Internacional da Mulher