Subir

Camisola da H&M causa polémica

Camisola da H&M causa polémica

PUB

link_FuckA marca sueca H&M está a ser acusada de racismo por promover a venda de uma hoodie verde no seu site, com a frase ‘Coolest monkey in the jungle’ (‘O macaco mais fixe da selva’, em português), vestida por um modelo infantil negro. A polémica começou depois de Charles M. Blow, colunista do jornal norte-americano The New York Times, partilhar no Twitter a imagem de promoção da camisola no site com o comentário: “Perderam a cabeça?”.

Em resposta ao tweet do colunista, publicado no domingo, depressa surgiram milhares de comentários acusando a H&M de racismo e mau gosto (no vídeo acima e na galeria de imagens abaixo pode ver alguns tweets de pessoas que reagiram à polémica).

“Trabalhei para eles durante anos e às vezes perdem a noção. A sede na Suécia é muito desligada de questões como o racismo, desafios culturais e sociais. Provavelmente acham que isso é bonito” e “esse foi o meu primeiro pensamento. Os europeus são tão ignorantes sobre o que é ofensivo para os outros mercados. É altura de os relações públicas falarem rápido e pedirem desculpas” foram dois dos comentários deixados no tweet de Charles M. Blow.

Percorra a galeria de imagens para ver as camisolas:

E não foi preciso muito tempo para que a H&M reagisse à polémica com um pedido de desculpas. “As mais sinceras desculpas a qualquer pessoa que se tenha ofendido”, afirmou um porta-voz da marca ao jornal britânico Independent.

A camisola continua à venda no site da marca, por 9,99 euros, mas sem o rapazinho negro a mostrá-la. Há também outras duas versões, em cor de laranja e azul-escuro. No entanto, essas hoodies não foram alvo de discussão porque são vestidas por duas crianças caucasianas e têm frases diferentes. Na camisola cor de laranja pode ler-se “Homem em Mangais. Especialista Oficial em Sobrevivência. Guia Turístico Juvenil” e a azul escura nada tem escrito, apenas imagens de girafas e tartarugas.


Leia também:

Vídeo: Coleção Erdem x H&M apresenta-se em curta-metragem