Portuguesa dá cartas na UNICEF

Catarina de Albuquerque [Fotografia: Leonardo Negrão/Global Imagens]

Cinco meses de provas e seis etapas superadas colocaram a jurista no cargo mais elevado da UNICEF alguma vez ocupado por uma portuguesa. Catarina de Albuquerque, 48 anos, será, a partir de 3 de setembro, a nova diretora-executiva (CEO) para a estrutura apelidada de ‘Saneamento e Água para Todos ‘ [a iniciativa internacional ‘Sanitation and Water for All (SWA)’].

Para trás ficaram 199 candidatos e, pela frente, Catarina Albuquerque revela que tem aos ombros “o peso da responsabilidade” por “ir gerir um orçamento de vários milhões de dólares”, revelou em declarações à revista Visão.

A jurista que já trabalhava e circulava na alta-roda das Nações Unidas, trabalhando em torno das necessidades e dos desafios da água potável pelo mundo, chega agora a outro patamar (recorde a entrevista ao Conversa Delas/TSF neste âmbito). Este novo cargo, explica o site da entidade internacional, chega com a atualização do modelo organizacional da estrutura. Antes, recorde-se, a portuguesa trabalhava como presidente-executiva desta parceria desde 2015.

Estou honrada por ter sido selecionada para liderar esta parceria multifacetada e entusiasmante. Este é um momento empolgante para a SWA, na medida que impulsionamos o nosso trabalho para atingir as metas da água, do saneamento e relacionadas à higiene no âmbito dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, afirmou a jurista portuguesa no comunicado divulgado.

Catarina de Albuquerque [Fotografia: DR]
Catarina – que terá funções de gestão do secretariado da entidade e de supervisão de todas as atividades operacionais, executivas e de captação de recursos – diz-se “determinada a continuar o aprofundamento e a expansão da abordagem única que a SWA tem na priorização política do setor, na eficácia da ajuda, na liderança forte do governo, no envolvimento de múltiplas partes interessadas e de responsabilidades mútuas”.

Kevin Rudd, chairman da instituição, congratula a portuguesa. “Após um processo abrangente de procura e seleção, estamos muito satisfeitos em ter Catarina de Albuquerque como a primeira diretora executiva”. E prossegue, elogiando: “É um talento impressionante e é conhecida pelo seu estilo de liderança cooperativa, energia e motivação.”

Uma escolha que este responsável diz ter tido por base “o sucesso e o reconhecimento que [a jurista] obteve como presidente executiva da SWA nos últimos três anos e no seu papel anterior como a primeira Relatora Especial das Nações Unidas sobre os Direitos Humanos para Água Potável e Saneamento”. “Catarina é a pessoa ideal para liderar a SWA no futuro“, conclui, na nota pública que pode ser lida no site.

Segundo a revista Visão, Catarina de Albuquerque contará com a chegada do marido e dos dois filhos cerca de oito meses após o início dos novos trabalhos.

Imagem de destaque: Leonardo Negrão/Global imagens

 

Guterres nomeia 17 mulheres e trabalha para a paridade na ONU