Subir

CITE: Diploma da paridade esperado “o mais breve possível”

Uma lei “refletida” e que chegue o “mais breve possível”. Esta é a posição da Comissão para Igualdade no Trabalho e no Emprego (CITE). Joana Rabaça Gíria, presidente deste organismo, reage ao Delas.pt, responde à acusação de atraso sublinhado pelo Bloco de Esquerda e pede tempo para que a proposta de lei que estabelece a paridade na administração direta e indireta do Estado chegue “bem“.

Segundo noticia o Diário de Notícias esta quarta-feira de manhã, 14 de fevereiro, o Executivo devia ter legislado esta matéria até final de 2017, mas só agora parece estar a fazê-lo, o que está a deixar o BE insatisfeito. “A proposta já devia estar preparada há muito tempo“, afirmou a deputada bloquista àquele órgão de comunicação Social, lembrando que a ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques, tinha dado como horizonte último 31 de dezembro.

“A tutela estará a trabalhar o assunto”, garante Joana Rabaça Gíria ao Delas.pt, sem querer dar mais detalhes ou explicar as razões deste atraso. Recorde-se que a CITE estará também envolvida neste projeto a par com outras comissões.

Imagem de destaque: Shutterstock